A World Wide Web completa 30 anos em 2019, e, para celebrar três décadas de caos e brilho, os desenvolvedores e designers da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, ou CERN, criaram uma versão do navegador original WorldWideWeb que pode ser executada dentro de um navegador moderno. Como será navegar na web original? Bem, experimente aqui. Já avisamos que pode ser meio que um saco.

Sinceramente, navegar na web com a tecnologia de antigamente é uma porcaria em comparação com o uso do navegador extravagante que você provavelmente tem aberto agora.

O software que alimenta essa grande ferramenta de comunicação está em constante evolução e melhoria, tornando fácil esquecer que as primeiras versões online eram caixas de texto cinzas e sem brilho. A proposta original para a World Wide Web, publicada pelo cientista do CERN Tim Berners-Lee em março de 1989, estabeleceria as bases para uma “rede” rudimentar de documentos de hipertexto que poderiam ser visualizados por meio de um “navegador”. O primeiro aplicativo de navegador, chamado “WorldWideWeb”, foi desenvolvido em uma máquina NeXT e lançado em dezembro de 1990, poucos meses antes do projeto se tornar público. Esse é o navegador que você pode testar por si mesmo, novamente, aqui mesmo.

Como você perceberá rapidamente, não há barra de endereços. Também não há cores, uma vez que o computador NeXT que Berners-Lee usou para construir o WorldWideWeb só oferecia suporte a imagens em escala de cinza na época. E, na verdade, também não há imagens. A primeira foto só apareceu na web em 1992. Foi uma foto promocional para uma banda de comédia chamada Les Horribles Cernettes, cujos membros eram amigos de Berners-Leeq (eles têm um canal no YouTube agora, e você definitivamente deve assistir ao clipe “Surfing the Web“, de 1993). No entanto, não há músicas, imagens ou cores no simulador original do WorldWideWeb, apenas um monte de hipertexto e alguns menus confusos.

Se tudo isso te parece fascinante, você deveria conferir o projeto de aniversário completo no site do CERN. Lá, você encontrará muito da história inicial da web, incluindo esta útil linha do tempo de marcos da internet e a proposta original para a World Wide Web escrita pelo próprio Berners-Lee há cerca de 30 anos. Você também pode ter um vislumbre de como era a configuração do navegador Berners-Lee no passado, graças a algumas capturas de tela que ele fornece. Quase escondido em todos esses documentos está também um escaneamento da proposta original da World Wide Web com uma simples anotação rabiscada no topo dizendo: “Vaga, mas empolgante…“.

Mas se você não for fazer mais nada depois de ler este post, então deveria clicar aqui para experimentar o WorldWideWeb original. Vai levar alguns minutos para descobrir como abrir o Gizmodo ponto com e depois mais alguns para descobrir como ler um post de blog. E, assim, você pode começar a desfrutar da glória dos velhos tempos da web sem um anúncio à vista.

[CERN via Engadget]