Após a polêmica sobre a representação gráfica de uma morte por suicídio na série 13 Reasons Why ser adequada ou não para públicos jovens e potencialmente vulneráveis, a Netflix, produtora da série, decidiu reeditar a cena da primeira temporada do programa. A decisão chega antes da estreia da terceira temporada, que deve acontecer nos próximos meses.

“Muitos jovens disseram que 13 Reasons Why os incentivou a falar sobre problemas difíceis, como depressão e suicídio, e procurar ajuda — muitas vezes pela primeira vez. Enquanto nos preparamos para lançar a terceira temporada no segundo semestre, estamos atentos ao debate em torno da série”, disse a Netflix em um comunicado enviado ao Gizmodo na terça-feira (16).

“Assim, seguindo o conselho de especialistas médicos, incluindo a Dra. Christine Moutier, Diretora Médica da American Foundation for Suicide Prevention, decidimos, em conjunto com o criador Brian Yorkey e os produtores, editar a cena em que Hannah tira a própria vida na primeira temporada.”

13 Reasons Why estreou em 2017 e é baseada no romance para jovens e adultos de Jay Asher com o mesmo título. A série traz representações delicadas de agressões sexuais, intimidação e depressão, entre outros tópicos. Mas a representação gráfica de suicídio e a falta de discussão explícita sobre doença mental fizeram o programa receber críticas generalizadas, particularmente depois que pesquisas publicadas no Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry no início deste ano ligaram o programa a um aumento nas taxas de suicídio entre os jovens no mês seguinte ao lançamento.

Uma fonte familiarizada com a decisão da empresa de remover a cena disse que ela decorre do entendimento de que o formato de streaming torna a série acessível a qualquer momento, particularmente quando se prepara para lançar uma nova temporada. A versão reeditada do episódio da primeira temporada não mostra de modo tão explícito a morte por suicídio.

Brian Yorkey, o criador da série, disse em um comunicado nesta semana que a ideia por trás da decisão inicial de incluir as cenas na primeira temporada do programa “era dizer a verdade sobre o horror de tal ato, e garantir que ninguém jamais desejaria emular isso”.

“Mas, à medida que nos preparamos para lançar a terceira temporada, ouvimos as preocupações sobre a cena vindas da Dra. Christine Moutier, da American Foundation for Suicide Prevention, e de outros, e concordamos com a Netflix em reeditá-la”, acrescentou Yorkey. “Nenhuma cena é mais importante do que a vida do programa e sua mensagem de que devemos cuidar melhor uns dos outros. Acreditamos que essa edição ajudará o programa a fazer o melhor para a maioria das pessoas, ao mesmo tempo em que atenua qualquer risco para espectadores jovens especialmente vulneráveis.”

Se você ou alguém que você conheça esteja tendo pensamentos suicidas, por favor, ligue para o Centro de Valorização da Vida em 188 ou acesse o site da associação, que oferece outros canais de contato, como conversa por chat ou mesmo e-mail.