Há alguns meses, a Netflix reajustou os valores de suas assinaturas para usuários nos Estados Unidos, com aumentos que iam de US$ 1 a US$ 2. Até então, não se sabia se os preços aqui no Brasil também passariam por mudanças. Mas agora é real: a Netflix está mais cara para assinantes brasileiros. E a diferença pode chegar a quase 22%, dependendo do plano escolhido.

Os valores atualizados já estão em vigor para novos usuários na plataforma. Para quem já é assinante, a nova cobrança passará a valer a partir da próxima renovação de assinatura. Por isso, se você é cadastrado na Netflix, fique de olho na sua próxima fatura.

Estes são os novos preços dos planos da Netflix no Brasil:

  • Plano Básico (1 tela, sem HD) — R$ 25,90. Custava antes: R$ 21,90;
  • Plano Padrão (2 telas, Full HD) — R$ 39,90. Custava antes: R$ 32,90;
  • Plano Premium (4 telas, 4K) — R$ 55,90. Custava antes: R$ 45,90.

O maior aumento é para o Plano Premium, que dá direito até quatro telas simultaneamente e reprodução de conteúdo em aparelhos compatíveis com 4K. Neste caso, o reajuste foi de 21,8%. Na sequência aparece o Plano Padrão, com aumento de 21,3%, e por último o Plano Básico, com 18,% de aumento em comparação com o valor anterior.

Além disso, os preços não acompanham a alta da dólar. Para efeito de comparação, o Plano Básico nos EUA custa US$ 9, o equivalente a R$ 46; o Padrão sai por US$ 14 (R$ 72); e o Premium custa US$ 18 (R$ 93) — todos esses valores na conversão direta atual, sem impostos.

Ainda assim, os novos preços da Netflix, em especial nos planos mais caros, estão bem acima de alguns concorrentes no Brasil. O Disney+, por exemplo, sai R$ 27,90 por mês, enquanto o Paramount+ cobra R$ 19,90 mensais. O HBO Max está como a plataforma de streaming mais em conta no momento, a partir de R$ 9,95 por mês para quem assinar até o dia 30 de julho de 2021.

Assine a newsletter do Gizmodo

Netflix justifica novos preços no Brasil.

De acordo com o UOL, a Netflix afirma que o aumento ocorre porque a empresa planeja melhorias significativas no que dizem respeito à interface e ao número de produções originais. Também destaca que o investimento em filmes e séries nacionais, o que, em tese, é um motivo para cobrar a mais dos usuários brasileiros.

“Sabemos que os assinantes nunca tiveram tantas opções quando se trata de entretenimento — e estamos mais comprometidos do que nunca em oferecer uma experiência que além de atender, supere as expectativas deles”, disse a Netflix em comunicado.

[UOL Splash]