A Netflix está testando um novo sistema de assinatura “Ultra”, que possibilitará que potenciais assinantes vejam conteúdos em 4K e streaming HDR. Infelizmente, com essa nova assinatura premium, os assinantes atuais do melhor plano podem perder alguns dos seus benefícios, como informa o site italiano Tutto Android.

O truque da Netflix para não quebrar literalmente a internet no Brasil e no mundo

Atualmente, assinantes do melhor plano tem acesso a conteúdos 4K e HDR e podem vê-los em até quatro dispositivos simultâneos, enquanto assinantes padrão têm acesso a conteúdos HD e podem vê-los em até dois dispositivos. O menor plano, o básico, permite ver definição standard em apenas um dispositivo.

Como a companhia tem testado diversos modelos de assinatura, alguns usuários dizem ver recursos distintos dependendo do dispositivo. Em dispositivos móveis, assinantes premium podem ver conteúdos 4K UHD, mas que não são HDR, e só conseguem ver conteúdos em até dois dispositivos simultaneamente; assinantes padrão, enquanto isso, podiam apenas ver conteúdos HD em um dispositivo. O plano Ultra também parece variar entre usuários europeus que viram a opção, com preços que vão de € 16,99 (quase R$ 78 em conversão direta) e podem chegar a € 19,99 (quase R$ 92 em conversão direta), segundo o cordcutting.com.

No Brasil, os planos atuais da empresa variam entre R$ 19,90 e R$ 37,90.

Resumindo, o serviço de streaming parece estar testando a ideia de piorar os planos atuais para pressionar usuários a fazer upgrade, meio que se alinhando com outros serviços de assinatura, que estão achando formas de aumentar as taxas de assinatura.

Esse plano Ultra também destaca a farsa do plano básico, que oferece suporte a apenas um dispositivo e na qualidade Standard. Claro, se você fizer streaming direto do seu smartphone usando o plano móvel e não quiser pagar por um conteúdo HD, pode ser bom para você. Mas se você faz streaming no Wi-Fi, pode ser um mau negócio ver vídeos em qualidade menor em seu smartphone ou tablet.

[Engadget]