Autoridades dos Estados Unidos estão ampliando a investigação sobre o sistema de piloto automático utilizado nos carros desenvolvidos pela Tesla. A Administração Nacional de Segurança Rodoviária (NHTSA, na sigla em inglês) quer determinar se o sistema representa riscos à segurança no trânsito.

Segundo o New York Times, a investigação envolve todos os carros desenvolvidos pela empresa de Elon Musk, como os modelos S, X, 3 e Y, lançados entre os anos de 2014 e 2021. Ao todo, mais de 830 mil veículos da Tesla já foram vendidos nos EUA e podem ter que passar por um potencial recall.

A agência começou a investigar o software de assistência ao motorista da Tesla no ano passado, após a notícia de 11 incidentes em que carros com o Autopilot ativado colidiram com veículos de emergência estacionados e com as luzes piscando.

Tesla diz que carros são seguros

Agora, as autoridades pretendem fazer uma avaliação mais detalhada, ao nível de engenheira, após tomarem conhecimento de outros 191 acidentes, não necessariamente ligados à colisões de veículos de emergência. Pelo menos 14 pessoas morreram em nove acidentes envolvendo o piloto automático da Tesla.

Durante a investigação, é esperado que a agência analise os vários sistemas que compõem a direção dos carros – como dirigir, frear e acelerar –, assim como o sistema mais avançado da Tela batizado de “Full Self-Driving”, que promete condução totalmente autônoma do veículo.

O objetivo é determinar se o sistema falha ao impedir que os motoristas desviem sua atenção da estrada durante a condução automática. Isso faria com que os usuários se envolvessem em acidentes que poderiam ser evitados.

A Tesla, por sua vez, afirma que o sistema é seguro e que, inclusive, ajuda a reduzir acidentes. No último relatório divulgado pela empresa, foi registado no 4º trimestre do ano passado um acidente para cada 4,3 milhões de quilômetros rodados com veículos da Tesla que usavam a tecnologia de direção automática ativada. Para comparação, dados mais recentes da NHTSA mostram que nos Estados Unidos há um acidente automobilístico de forma geral a cada 772,2 mil km rodados.