Quando as placas de vídeo RTX chegaram aos desktops, elas proporcionaram uma ótima “opção média” para pessoas que queriam o máximo de frames sem investir tanto. A RTX 2060 Super, em particular, tornou a RTX 2070 obsoleta, não pelo hardware em si que estava desatualizado, mas porque a RTX 2060 Super tinha a mesma quantidade de energia a um preço menor.

Era, e ainda é, a opção com melhor custo-benefício com Ray Tracing quando se trata de GPUs para desktop. Mas não espera ver uma RTX 2060 Super na linha de GPUs móveis da Nvidia.

Apenas a RTX 2080 Super e RTX 2070 Super chegarão aos computadores portáteis em algum momento deste mês. Não posso dizer com certeza porque é que a Nvidia opta por lançar versões móveis de apenas duas placas, mas novos modelos RTX 2060 para laptop estarão disponíveis.

A Nvidia também está introduzindo uma nova e melhorada versão da sua tecnologia Max-Q, que estará disponível em alguns laptops com RTX 2080 Super, 2070 Super e 2060. Eles também devem vir com a versão móvel do Intel Core i7 e do Intel Core i9 de 10ª geração que também foram anunciados nesta quinta-feira (2).

Porém, o que mais me impressionou é o preço sugerido pela Nvidia para os novos laptops RTX 2060: US$ 1.000. Atualmente, os laptops com uma GTX 1660 Ti têm esta mesma faixa de preço, dependendo de outras especificações. Laptops com uma RTX custam mais de US$ 1.000, então para a Nvidia dizer que os laptops base com Ray Tracing estarão disponíveis em um futuro próximo por centenas de dólares a menos é bastante ousado.

Segundo a página RTX Studio, da Nvidia, todo sistema RTX Studio (desktop ou laptop) vem com pelo menos: GeForce RTX 2060, Titan RTX, Quadro RTX 3000 ou superior; Intel Core i7 ou equivalente ou superior; 16 GB ou mais; 512 GB de SSD ou mais; e um display de 1080p ou 4K (laptops ou computadores all-in-one).

Ainda não há informações sobre como esses novos laptops serão configurados, mas uma queda de preço tão grande normalmente significa uma redução na velocidade de processamento, armazenamento disponível e/ou quantidade de memória RAM.

O Acer ConceptD 7, por exemplo, atualmente custa US$ 2.300 — bem longe do preço de US$ 1.000 — e vem com um processador Intel Core i7-9750H, RTX 2060, 16 GB DDR4 de RAM e um SSD de 1 TB. Estou assumindo que os novos modelos de laptop RTX 2060 não terão um processador Intel de 10ª geração para manter os custos baixos.

Mas algumas empresas parecem estar levando a sério o preço de US$ 1.000. A Lenovo diz que seu Legion 5i (anteriormente Legion Y540) com uma GPU RTX 2060 estará disponível por a partir de US$ 1.000. Ainda não se sabe se isso está associado a uma CPU móvel Intel de 10ª geração ou a qualquer outro componente de hardware, como um SSD de 1 TB. A empresa não forneceu detalhes específicos da configuração.

A Acer também disse que novos laptops gamer Nitro 5 virão com uma RTX 2060, com um preço inicial de US$ 750. Embora, eu suspeite que a um preço baixo tenha uma GTX 1650 ou GTX 1650 Ti. Os laptops Nitro 5 e Predator Triton 500 também incluirão CPUs móveis Intel de 10ª geração. A Acer também não forneceu detalhes de configuração específicos.

Sobre o Max-Q 2.0, um dos novos recursos, o Dynamic Boost fornece “balanceamento automático de GPU por CPU e CPU por quadro”, o que significa que, esperamos, mais energia seja entregue à GPU ou CPU conforme necessário, dependendo do tipo de jogo ou programa que mais utiliza (Alguns têm GPU, enquanto outros têm CPU).

Segundo a Nvidia, isso dá aos jogos um aumento de 6% a 9% no desempenho. Enquanto um laptop Max-Q com uma GTX 1080 de três anos atrás pode obter no máximo 73 fps, em jogos como Control, Wolfestein:Youngblood ou Deliver Us The Moon. Já um laptop Max-Q com uma RTX 2080 Super terá a média de 167 fps com os mesmos jogos na mesma configuração, de acordo com a Nvidia.

No papel, parece que isso poderia ajudar com a queda na taxa de quadros que acaba acontecendo com os laptops Max-Q atuais. Eles são um pouco menos poderosos do que seus irmãos comuns, porque foram projetados para obter eficiência sobre desempenho; taxas de quadro mais altas significam maior velocidade de clock e tensões, o que significa mais produção de calor e laptops mais pesados.

No entanto, o Max-Q torna laptops topo de linha mais finos, mais leves e mais silenciosos, o que é o tipo de coisa que temos nos portáteis mais atuais. O Dynamic Boost não é algo que ficará disponível para laptops Max-Q de primeira geração, porque é algo específico para o novo design.

Esperamos que alguns desses novos laptops chegue em breve para ver se o novo design Max-Q realmente tem melhor desempenho em fps. Mas continuaremos a lamentar a falta de uma Super 2060 para laptops.