Na terça-feira (14), foram lançados os novos produtos da Apple, entre eles o novo iPad Mini 6, que faz lembrar o Duo original da Microsoft — que, inclusive, apresentará seu tão falado Surface Duo 2 na próxima semana.

O novo Mini se parece com o Duo original quando está dobrado do meio para trás — porém, mais bonito.

Para quem não se lembra: o Surface Duo é um telefone Android exclusivo com dois monitores separados por uma dobradiça. Não é um telefone dobrável com um display externo que quando aberto revela uma tela gigante flexível, mas sim um telefone parecido com um livro que se abre para mostrar duas telas separadas

O produto não ficou visualmente bonito — ficou estranho, fechado parece um bloquinho de notas de papel. Por isso é de esperar que o Duo 2 seja categorizado como um tablet, e não um smartphone.

Tamanho ideal

O iPad Mini 6 chama a atenção porque parece ter o tamanho ideal para um tablet que se usa com frequência no dia a dia. Ele tem uma tela OLED de 8,3 polegadas com 500 nits de brilho, para que o usuário consiga enxergar o conteúdo da tela na luz do sol, ao ar livre.

A Apple tirou o botão home que era usado com o Touch ID na parte inferior e moveu o sensor de impressão digital para a lateral do aparelho, preservando o espaço na tela. Ele também tem engastes menores, o que oferece bastante espaço na tela, além de ter uma ótima espessura para segurar com o polegar, caso o usuário precise usar apenas uma mão para segurar o tablet.

A pesar do aumento no tamanho da tela, o iPad Mini continua sendo o menor tablet da Apple.
O Surface Duo original é um pouco mais compacto. Quando está aberto como um tablet, o Duo tem uma tela de 8,1 polegadas medindo cerca de 5,7 polegadas por 7,4 polegadas. É apenas mais leve que o iPad Mini. O Duo também tem uma espécie de suporte embutido, então você não precisa de um case para sustentá-lo — diferente do iPod que precisa de um acessório extra.

Os tablets também precisam de boas câmeras

A Apple melhorou os recursos da câmera no iPad Mini 6, para você poder usá-lo para tirar fotos sem precisar pegar o smartphone.

A grande novidade é uma câmera ultra-larga de 12 megapixels, que suporta o recurso Center Stage da Apple, que tem um foco especial para caber as pessoas no quadro da câmera. Afinal, não há nada pior do que uma reunião de família virtual sem ver todos os presentes.

Uma das desvantagens de usar o Surface Duo original era sua câmera pesada e de baixo desempenho. A Microsoft a colocou no canto do dispositivo, logo acima da tela do lado direito, fazendo com que o usuário pudesse tanto de forma vertical quanto horizontal, fazer chamadas. Isso seria ideal no iPad, onde a câmera ainda é colocada no lado esquerdo quando usada na posição retrato não traz bons resultados.

Mas a câmera do Duo em si não valia a pena usar para fotos. Você teria que abrir o aplicativo da câmera no modo selfie e, em seguida, girar o dispositivo para usar a câmera mediana de 11 MP do Duo, que não tem uma boa resolução em ambientes com pouca luz.

A expectativa é que o Surface Duo 2 esteja equipado com lentes melhores — os rumores apontam para um dispositivo externo com sistema de câmera tripla com telefoto e câmera ultra-grande angular.

Melhores recursos de produtividade

 

A Apple ajustou o Pad Mini 6 para torná-lo um dispositivo com mais capacidade. Ele agora tem uma porta USB-C na parte inferior, em vez do conector Lightning usual. O tablet também pode carregar mais rápido do que antes, além de se conectar de forma prática a outros aparelhos, como câmeras, para fazer edição de fotos e etc.

Mas um dos motivos que pode te levar a escolher o Mini em vez algo mais barato de um fabricante Android, é o suporte para o Apple Pencil (caneta).

É possível usar a caneta da Apple em aplicativos como o Procreate (aplicativo de pintura digital) para desenhar no iPad Mini. O novo Mini também funciona com o mais recente chip A15 Bionic da Apple, que emparelhado com o iPadOS 15 da Apple deve torná-lo um poderoso dispositivo otimizado para multitarefa.

O ponto atrativo do Surface Duo de primeira geração era quanto trabalho era possível realizar com suas telas duplas. Na análise do Gizmodo, destacamos os recursos de multitarefa e gestos que facilitavam trabalhar entre às duas telas.

É aqui que o Duo 2 poderia ter uma vantagem, desde que a Microsoft e o Google ainda estejam trabalhando juntos na otimização de aplicativos — recentemente a Microsoft falou sobre o possível encerramento do suporte de aplicativos Android para o Chrome OS, isso nos faz pensar o contrário, mas nunca se sabe!

O maior erro da Microsoft com o Duo original foi categoriza-lo como um telefone Android e cortar caminhos para fazê-lo funcionar como tal. O Duo não é um rival do Samsung Galaxy Fold, (celular que também abre e fecha como um livro), possivelmente a Microsoft teria mais sucesso o posicionando como um tablet.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os rumores do Surface Duo 2 indicam que o próximo dispositivo terá uma tela maior do que o iPad Mini 6. Ele poderia ter telas duplas de 5,8 polegadas, o que o tornaria do tamanho de alguns tablets de nível profissional no mercado quando aberto. Mas não parece provável que o Duo 2 seja um tablet em vez de um telefone, com um trio de câmeras externas que deverá adicionar uma câmera protetora ao corpo do dispositivo.

Outro ponto comentado é de que o Duo de segunda geração virá com o Android 11 — mas será que vale a pena? Já que o Android 12 está chegando e quem sabe quanto tempo a Microsoft levará a versão mais recente do Android para seu dispositivo.