O mais novo brinquedinho da Nasa chegou a Marte, mas a agência espacial ainda tem muito trabalho pela frente até que o rover Perseverance esteja pronto para dar um rolê no Planeta Vermelho.

Depois de percorrer mais de 480 milhões de quilômetros nos últimos nove meses, o rover Perseverance da Nasa pousou com sucesso em Marte. Durante uma coletiva, Adam Steltzner, engenheiro-chefe do veículo, disse que o pouso correu tão bem quanto eles queriam. “É quase como se estivéssemos em um sonho”, disse Jennifer Trosper, vice-gerente de projeto no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, durante uma coletiva pós-pouso.

Pode ficar animado, porque tudo até agora está dando muito certo. O Perseverance pousou dentro da cratera Jezero, que tem 45 km de largura. O local já abrigou um lago e o delta de um rio. O rover parece estar voltado para sudeste, seus sistemas de energia parecem bons e suas baterias já carregaram até 95% da capacidade, disse Trosper.

Aaron Stehura, o vice-líder da fase de entrada, descida e pouso, disse que o local de pouso parece “relativamente seguro”, pois está livre de pedras, penhascos e outros perigos. “Foi preciso muito tempo e esforço para identificar um lugar tão seguro”, acrescentou.

A geóloga Kathryn Stack Morgan, cientista assistente do projeto para a missão Mars 2020, disse que ficou paralisada com as imagens, especialmente uma nova foto que mostra a roda direita do veículo espacial na superfície empoeirada.

Roda dianteira direita do Perseverance, com pedras curiosas ao fundo. Imagem: Nasa/JPL

Durante a coletiva de imprensa de sexta (19), Morgan apontou algumas pedras vistas na foto, que parecem cheias de bolhas. Ela está curiosa para saber “o que essas rochas realmente significam” — a importância geológica surgiu instantaneamente neste caso. Esses buracos são conhecidos em rochas vulcânicas, mas também em rochas de origem sedimentar, explicou Morgan, que disse estar animada para descobrir.

Ela também ficou satisfeita ao saber que Perseverance havia pousado em uma área geologicamente interessante. O rover, inclusive, está perto de uma unidade fraturada que a Nasa chama de Canyon de Chelly. As observações feitas anteriormente de cima agora podem ser confirmadas pelo rover, disse ela.

Mapa mostrando o local de pouso do Perseverance na cratera de Jezero, com características geológicas interessantes mostradas em verde. Imagem: Nasa/JPL

Pauline Hwang, gerente de missão estratégica de superfície do JPL da Nasa, disse que Percy (o apelido do rover) está “ótimo”, “saudável”, “altamente funcional” e “incrível”. O rover se comunicou com sucesso com os orbitadores e transmitiu dados através da Deep Space Network da Nasa. Especialistas da missão dispararam com sucesso alguns foguetes no veículo espacial para soltar o equipamento que precisou ser parafusado para a viagem da Terra. Hwang disse que isso já foi feito para liberar antenas e tampas nas duas câmeras de prevenção de perigos (Hazcams), mas nenhum instrumento foi movido ainda.

Jessica Samuels, a gerente da missão de superfície para o projeto Mars 2020, disse que sua equipe agora deve se ajustar a um novo relógio, já que os dias marcianos têm 24 horas e 39,5 minutos de duração. Eles são chamados de “sol”, uma abreviação de “solar day”, ou “dia solar”. Sua equipe começou a verificação inicial do veículo espacial para garantir que ele e seus vários instrumentos estejam funcionando corretamente.

A equipe está engatinhando. Percy está sendo preparado para o estágio científico da missão, que provavelmente não começará antes do segundo semestre, de acordo com Trosper. A equipe também está trabalhando para estabilizar o sistema térmico e de energia do rover, bem como suas capacidades de comunicação. Depois disso, a equipe poderá enviar uma atualização de software ao veículo.

Durante os próximos sóis, a equipe apontará as antenas de Percy na direção da Terra e implantará seu mastro de sensoriamento remoto, que está equipado com cinco câmeras (o veículo de seis rodas tem, ao todo, 23 câmeras). Hwang disse que o mastro pode ser implantado já no sábado, e novas imagens devem surgir, incluindo uma foto do convés do veículo espacial e uma visão panorâmica colorida do local de pouso. A Nasa também espera divulgar um vídeo de alta definição — com áudio — capturado pelo Perseverance durante sua descida à superfície marciana, que deve incluir os últimos 10 metros antes de tocar o solo. Isso parece incrível. A agência espacial disse que ele deve ser publicado na segunda-feira (22).

A Nasa também compartilhou uma foto impressionante do rover descendo até a superfície e uma imagem tirada pelo Mars Reconnaissance Orbiter, um satélite que está em Marte desde 2006, mostrando o veículo descendo à superfície com o paraquedas aberto.

Também na segunda-feira, a Nasa vai transmitir um novo software para o rover. Depois, serão vários dias de “transição”, disse Trosper. Caso tudo corra bem, a equipe começará a se preparar para a primeira movimentação da máquina, que será bem modesta. O rover avançará cerca de 5 metros e então recuará para sua posição original. Esta primeira viagem poderia acontecer já no sol 9, disse Hwang. Uma viagem mais longa seria feita logo em seguida.

Assine a newsletter do Gizmodo

Uma coisa legal é que a implantação do Ingenuity — um minúsculo helicóptero — estará entre as primeiras tarefas do Perseverance, assim que ele esteja preparado para a ação. Um campo de dunas promissor está localizado diretamente na frente do veículo, e pode ser um bom local — ou uma boa “localização de heliporto”, nas palavras de Hwang — para implantá-lo. O helicóptero pesa de 1,8 kg e está atualmente está preso à barriga do rover. O Ingenuity terá que sobreviver a uma queda de 12 centímetros na superfície, o que não deve ser um problema.

O Ingenuity é básico em termos tecnológicos, mas também serve como um possível precursor para uma missão mais ambiciosa. Steltzner disse que o helicóptero é capaz de capturar imagens coloridas e vídeos, mas a coleta de dados de engenharia será a prioridade inicial. O Perseverance também fará imagens do helicóptero durante os testes, acrescentou.

Se o teste funcionar, o Ingenuity será o primeiro veículo aéreo a voar em um mundo alienígena (quer dizer, até onde a gente sabe, né?). O Perseverance levará cerca de 10 sóis para implantar o Ingenuity e sair do caminho do perigo, enquanto os testes de voo acontecerão ao longo de 30 sóis. Nesses testes, ele tentará cerca de cinco saltos. Eles devem acontecer por volta do sol 60, lá por abril ou maio, disse Hwang.

Depois disso, o software do rover passará por mais uma atualização, desta vez para aprimorar suas capacidades de navegação autônoma. O Perseverance irá então prosseguir em direção ao seu primeiro sítio científico, ainda a ser determinado, e iniciar suas atividades de pesquisa, o que não acontecerá até o meio do ano.

A caminho de Marte: A incrível jornada de um cientista brasileiro até a NASA
A trajetória inspiradora de Ivair Gontijo, do interior de Minas Gerais até os laboratór...
R$ 27

Eventualmente, o rover coletará amostras da superfície e as colocará dentro de recipientes minúsculos, que serão jogados na superfície. Uma missão futura, talvez na próxima década, vai então recuperar essas amostras e trazê-las para a Terra para análise.

O Curiosity mostrou que Marte já foi habitável. O Perseverance tentará encontrar vestígios de vida real. O rover é um laboratório sobre rodas e vai caçar microfósseis do equivalente marciano das bactérias ou algas, que podem ter existido quando Marte tinha água corrente em sua superfície.

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.