A uma distância de 4,2 anos-luz, Proxima b é o planeta potencialmente habitável parecido com a Terra mais próximo do nosso sistema solar. Novos estudos sugerem que esse globo distante pode também estar completamente coberto de água. Quando vamos até lá?

Como conseguiremos descobrir se o exoplaneta Proxima b é realmente habitável
Como a vida poderia existir no exoplaneta recém descoberto Proxima b?

Em agosto, cientistas do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês) confirmaram a descoberta de um planeta rochoso na zona habitável de Proxima Centauri – nossa estrela vizinha mais próxima. Pouco se sabe sobre esse planeta distante e se ele tem o que é necessário para abrigar vida alienígena, mas um novo estudo aceito para ser publicado no Astrophysical Journal sugere que Proxima b seja coberto com oceanos, ou talvez até mesmo um único oceano gigante que cobre o planeta inteiro.

Proxima b é um alvo fascinante para ser estudado, e não só por ser parecido com a Terra e estar localizado no sistema estelar mais próximo do nosso Sol. O planeta tem cerca de 1,3 vezes a massa da Terra, e está em uma órbita com aproximadamente um décimo da distância de Mercúrio até o Sol. Mas isso não é um problema, porque a estrela hospedeira Proxima Centauri é cerca de 1.000 vezes mais fraca do que o Sol. Assim, o planeta está na zona habitável do seu sistema, o que significa que água líquida pode estar presente em sua superfície.

Não foram feitas ainda muitas observações de Proxima b, mas Bastier Brugger e seus colegas da Universidade de Marselha, na França, fizeram uma série de simulações para entender melhor a composição e raio do planeta. Suas estimativas mostram que o raio de Proxima b tem entre 0,94 e 1,4 vezes o da Terra, o que dá, em média, 6.300 km.

proximab

Renderização artística do planeta Proxima orbitando a estrela anã vermelha Proxima Centauri (via ESO/M. Kornmesser)

Se o raio do planeta estiver na menor faixa da estimativa, então ele deve ser bastante denso, com um núcleo metálico que consiste em dois terços de toda a massa do planeta, e rodeado por um manto rochoso. Qualquer água de superfície nesse planeta contribuiria com cerca de 0,05% da massa total dele, em comparação com 0,02% na Terra. Oceanos enormes podem existir em Proxima b.

Mas se o raio do planeta estiver mais próximo da estimativa mais alta, cerca de 8.920 km, as coisas ficam ainda mais interessantes. Neste cenário, a massa do planeta seria dividida entre um centro rochoso e a água ao seu redor.

“Neste caso, Proxima b seria coberto por um único oceano líquido com cerca de 200 km de profundidade,” disseram os pesquisadores em um artigo publicado na AFP. “Em ambos os casos, uma atmosfera fina e gasosa poderia rodear o planeta, como na Terra, tornando Proxima b potencialmente habitável.”

É fácil se empolgar com esses resultados, mas ainda precisamos aprender muito mais sobre esse planeta antes de tirarmos conclusões. Os pesquisadores basearam seus modelos no pressuposto de que Proxima b abriga uma atmosfera fina, mas não sabemos exatamente que tipo de atmosfera esse planeta tem – se é que ele ainda tem.

O que sabemos é que ele é um pedaço de rocha frígido e sem ar – nada que lembre nem remotamente um planeta habitável. Mas uma coisa é certa, Proxima b se torna cada vez mais o planeta mais interessante fora do nosso sistema solar.

[arXiv]