A Polar está trazendo mais um aparelho do seu portfólio de relógios inteligentes ao mercado local. Trata-se do Polar Unite, um smartwatch casual com uma série de funções para ajudar quem quer se exercitar, seja em casa ou na rua.

O produto foi apresentado nesta terça-feira (30) por R$ 1.299, mas só estará no varejo mesmo em agosto. A empresa alega que ainda faltam alguns processos de homologação com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).



Diferente do Grit X, lançado pela marca em abril, este modelo tem tela sensível ao toque resolução de 240 x 204 e as dimensões de 43 x 43 x 10mm, portanto com uma caixa menor que ou outro modelo lançado no Brasil, e conta com várias cores de pulseira (branca, preta, rosa e azul) — ao escolher um modelo, ele vem acompanhado de pulseiras do tamanho pequeno, médio e grande. Como boa parte dos smartwatches da Polar, ele tem monitor de batimentos cardíacos e exibe notificações do seu smartphone.

Importante ressaltar que ele não vem com GPS embutido: quando conectado a um smartphone, ele usa o sensor do celular para monitorar o trajeto.

Relógio Polar Unite

A Polar promete uma autonomia de até quatro dias com monitoramento de batimentos cardíacos ligado constantemente. No modo treino, com o GPS ligado sem parar, a marca finlandesa diz que o relógio fica longe do carregador por até 50 horas (pouco mais de dois dias).

O negócio da Polar é tentar mastigar o máximo possível de informações para os usuários. Uma das principais iniciativas, para quem quer se exercitar, é o que eles chamam de Fitspark. Baseado em informações coletadas sobre você, como a qualidade do sono, tempo de recuperação e seu nível físico, ele vai sugerindo opções de treino. É possível fazer treinos funcionais para aumentar força, melhorar capacidade cardiorrespiratória e o equilíbrio.

As instruções para os exercícios aparecem na própria tela do relógio, com algumas recomendações animadas e escritas, o tempo e sugestão de repetições. Este vídeo da Polar, em inglês, ajuda a entender melhor a funcionalidade.

Tela do relógio inteligente Polar UniteModo FitSpark, da Polar, permite fazer treinos funcionais de força

Segundo André Bandeira, country manager da Polar Brasil, tem havido um grande movimento para as pessoas se exercitarem no ambiente que elas estão e que tem muita gente buscando critério para iniciar. Por isso a marca tenta ser didática na sua solução.

“Vemos que as pessoas estão buscando orientação para se exercitarem, sobretudo os iniciantes. As dúvidas costumam ser por onde começo, como devo focar, qual o nível de intensidade do exercício. Além disso, pelos dados que coletamos, iniciantes gastam em média 38% do exercício em zonas de frequência cardíaca mais altas, o que pode ser prejudicial, causar estresse excessivo e frustração, pois ele não não atingirá a evolução esperada”, disse Bandeira durante conferência de apresentação do produto.

O relógio ainda sugere uma quantidade de caloria diária baseada no seu condicionamento físico e calorias queimadas durante o treino e tem o Serene, um sistema que ajuda a relaxar com exercícios de respiração.

Se sua preocupação é o monitoramento do sono, o Unite informa detalhes do ciclo e como o sistema nervoso autônomo se recuperou ao longo da noite. Para dar uma ideia melhor, a companhia tem até um sleep score (pontuação) para avaliar a qualidade do sono do usuário.

Diferente dos outros smartwatches com firulas, os modelos da Polar são 100% voltados para atividade física mesmo, além de acompanhamento de condicionamento. Com o preço de R$ 1.299, ainda que não esteja disponível para já, o relógio passa a ser um modelo a ser considerado para quem ainda quer tentar ser fitness neste louco ano de 2020.

Atualização (19/8): este texto dizia que o Polar Unite vinha com GPS, porém o smartwatch utiliza as coordenadas de um celular quando pareado a ele.