Satélites operados pela NASA e a Agência Espacial Europeia têm visto “diminuições significativas” de dióxido de nitrogênio tóxico sobre a China que estão “pelo menos parcialmente relacionadas com o abrandamento econômico após o surto do coronavírus”, de acordo com um comunicado de imprensa da NASA publicado neste fim de semana.

O dióxido de nitrogênio é o gás que sai dos carros, fábricas e usinas de energia e é conhecido por causar problemas respiratórios e outros efeitos negativos à saúde.



Porque, sim, caso ainda não tenha ouvido falar, o problema da poluição atmosférica na China é tão sério que é possível vê-lo do espaço. Os cientistas já chamaram a sua capital, Pequim, de “inabitável para os seres humanos” devido à má qualidade do ar, e a habitual nuvem de poluição da China – um subproduto da queima de grandes quantidades de combustível e carvão – é tão espessa e penetrante que mata milhares de pessoas todos os anos.

Mapa compara emissões de dióxido de nitrogênio na ChinaGráfico: NASA

Os cientistas da NASA disseram que a queda se tornou evidente primeiro sobre a região de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus, mas desde então tem se espalhado por outras áreas do país. Antes e depois, imagens de satélite mostram como o nível de dióxido de nitrogênio caiu rapidamente no mês passado, em comparação com o início de janeiro, antes de milhões de pessoas serem colocadas em uma espécie de bloqueio.

“Essa é a primeira vez que vejo uma queda tão dramática em uma área tão ampla para um evento específico”, disse Fei Liu, um pesquisador de qualidade do ar do Centro de Vôos Espaciais Goddard da NASA, em uma declaração.

Muitas empresas chinesas fecham para as celebrações do Ano Novo Lunar e os cientistas costumam ver a poluição no país diminuir nessa época do ano. No entanto, as taxas de 2020 estão entre 10% e 30% abaixo da média quando comparadas com medições semelhantes feitas entre 2005 e 2019.

“Esse ano, a taxa de redução é mais significativa do que em anos anteriores e tem durado mais tempo”, continuou Liu. “Não me surpreende porque muitas cidades do país tomaram medidas para minimizar a propagação do vírus”.

Mapa aproximado de concentração de dióxido de nitrogênio na ChinaGráfico: NASA

Embora a notícia de que um país tenha reduzido as suas taxas de poluição seja normalmente algo para se comemorar, esse não é o caso.

Até agora, o coronavírus atingiu 58 países, com quase 90.000 casos registados. A doença respiratória foi responsável por mais de 2.800 mortes na China e mais 104 em todo o mundo.