Muito se fala sobre o potencial das vacinas de Covid-19 para evitar casos graves e salvar vidas. Mas quantas mortes exatamente foram evitadas durante a pandemia graças aos imunizantes? 

Este é o dado recém levantado por pesquisadores do Imperial College London, na Inglaterra. Em estudo publicado na revista Lancet Infectious Diseases, os cientistas concluem que 20 milhões de vidas foram poupadas entre dezembro de 2020 e dezembro de 2021 graças à vacinação.  

O estudo leva em conta todas as doses aplicadas em 185 países desde o dia 8 de dezembro de 2020. Para chegar ao número de óbitos causados pelo vírus, os cientistas usaram não apenas dados oficiais como também o excesso de mortalidade de cada país. Tal fator é referente a diferença entre o número total de pessoas que morreram no local por todas as causas e o número de mortes esperadas com base em dados de anos anteriores.

Há uma clara diferença entre regiões do globo. No continente africano, 162 milhões de pessoas receberam ao menos uma dose da vacina neste intervalo. Na Europa, por outro lado, foram imunizadas mais de 474 milhões de pessoas no mesmo período. O gráfico abaixo de mortes evitadas escancara essa diferença:

Covid vacinas
Média de mortes evitadas por vacinas a cada 10 mil pessoas entre dezembro de 2020 e dezembro de 2021. Imagem: Lancet Infectious Diseases/Reprodução

O estudo sugere que mais de 45% das mortes em países de baixa renda poderiam ter sido evitadas se a meta de cobertura vacinal de 20% estabelecida pela Iniciativa COVAX (Acesso Global às Vacinas da Covid-19) tivesse sido cumprida. 

Isso que nem citamos a meta de 40% de cobertura vacinal estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Se essa tivesse sido cumprida até o final de dezembro de 2021, uma em cada cinco mortes em países subdesenvolvidos teria sido evitada – o que soma quase 600 mil vidas perdidas.

Assine a newsletter do Gizmodo

Estamos na metade de 2022, e a vacinação em países de baixa renda não avançou como deveria. Na África, por exemplo, há cerca de 252 milhões de pessoas com o esquema vacinal inicial completo (duas doses). Na Europa, são mais de 492 milhões de cidadãos imunizados. Vale dizer que a população europeia não ultrapassa a marca de 800 milhões de pessoas, enquanto a população africana é estimada em 1,2 bilhões de pessoas.

A América do Sul, por outro lado, teve um bom desempenho em seus esforços de vacinação. Em dezembro de 2021, 61% da população do continente havia sido vacinada com duas doses. A adesão ao imunizante está refletida no gráfico feito pelos cientistas britânicos.