Em maio, a NASA irá lançar a sua primeira missão tripulada a partir de solo americano em quase uma década. A missão irá marcar o teste final para a SpaceX antes de a NASA começar a transportar regularmente astronautas para a órbita da Terra utilizando a nave Crew Dragon da companhia.

“URGENTE: Em 27 de maio, @NASA lançará mais uma vez astronautas americanos em foguetes americanos a partir de solo americano!”, tuitou o administrador da NASA, Jim Bridenstine, na sexta-feira (17).

No dia 27 de maio, os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley viajarão para a Estação Espacial Internacional a bordo de um foguete Falcon 9 da SpaceX, lançado a partir do Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

Devido à atual pandemia de coronavírus, o evento não será aberto ao público e o acesso aos locais de observação mais próximos também podem ser restringidos se as autoridades da Flórida ampliaram a ordem de isolamento social.

Como medida de precaução, a NASA disse ao Business Insider, no início deste mês, que estava “limitando o contato com os membros da tripulação” antes do lançamento, para além de outras proteção sanitárias de rotina, o que inclui quarentena de duas semanas. Quanto à duração da quarentena, a agência ainda está pensando nisso.

Desde o lançamento do programa de Ônibus espaciais em 2011, a NASA tem utilizado o programa espacial russo para transportar astronautas americanos para a ISS – um serviço de táxi espacial que custou cerca de US$ 3,4 bilhões ao longo dos últimos 9 anos. Com o sucesso da missão do próximo mês, a NASA fará a transição para a nave espacial SpaceX, como parte do Programa de Tripulação Comercial da agência.

“Esta certificação e operação regular da Crew Dragon permitirá à NASA prosseguir as importantes pesquisas e pesquisas de tecnologia que se realizam a bordo da estação [ISS], o que beneficia as pessoas na Terra e lança as bases para a futura exploração da Lua e de Marte…”, escreveu a NASA escreveu em comunicado de imprensa.

O lançamento do mês que vem é um passo muito esperado para o Programa de Tripulação Comercial da NASA, que tem enfrentado vários atrasos na última década. A SpaceX e Boeing, outra empresa candidata escolhido pela NASA para a parceria público-privada, receberam contratos no valor de US$ 2,6 bilhões e US$ 4,2 bilhões de dólares, respectivamente, em 2014, mas ambas as empresas enfrentaram “desafios técnicos e de segurança significativos” com o projeto desde então, conforme aponta uma reportagem da CNN.

Após decolagens canceladas, falhas em testes e protótipos destruídos, as perspectivas para a parceria entre SpaceX e NASA parecem melhores.