Desde que Tim Cook assumiu o comando da Apple, a escalada da empresa tem se mantido estável. Produtos bem-sucedidos, lucros altíssimos, acionistas e clientes felizes. Mas o jeitão Cook de liderar já se faz visível em alguns lugares. Por exemplo, no programa Blue Sky — que, apesar de promissor, pode ser apenas parte de uma ação maior para evitar a perda de funcionários-chave para a concorrência.

A ideia do programa Blue Sky é liberar alguns funcionários selecionados da Apple para trabalhar em projetos pessoais de engenharia por algumas semanas. A iniciativa lembra o que o Google faz e promove já faz um bom tempo, prática de onde saiu, por exemplo, o Gmail, Google News, AdSense e orkut.



Não se sabe quais funcionários estão envolvidos nisso, nem se a ideia já deu frutos, mas ela denota uma mudança interna na Apple. Mais uma. Desde que assumiu o posto de CEO, Cook também intensificou as obras beneficentes da empresa e passou a buscar acordos de patentes com empresas rivais sem recorrer à justiça (claro, com uma notável exceção).

O Wall Street Journal diz que isso faz parte de uma mudança no tratamento da Apple para com seus funcionários numa tentativa de mantê-los na empresa. Dois executivos do Vale do Silício que tentaram contratar funcionários da Apple recentemente disseram à publicação que a Apple está mais agressiva nas ações que toma para segurá-los em casa. Se o Blue Sky é só parte desse grandes esforço de retenção ou se dele sairá a “Próxima Grande Coisa”, só o tempo dirá. [Wall Street Journal via The Verge]