O FBI adicionou Ruja Ignatova à sua lista dos 10 mais procurados no mundo. Desaparecida desde 2017, a búlgara é conhecida como a “Rainha das Criptomoedas” e é suspeita de aplicar um golpe que movimentou US$ 4 bilhões.

Ignatova é acusada de operar um esquema de pirâmide por meio de uma criptomoeda batizada OneCoin. Lançada em 2014, a moeda prometia altos lucros, com potencial para se tornar maior do que Bitcoin. Porém, a OneCoin era, na verdade, uma farsa, nunca chegando a utilizar a tecnologia blockchain.

O golpe fez vítimas em todo o mundo, inclusive no Brasil. Como destaca a BBC, a mulher recebeu em 2019 oito acusações, entre elas fraude eletrônica e fraude de valores mobiliários.

FBI paga US$ 100 mil por informações

O FBI divulga a sua lista de mais procurados quando acredita que o público geral pode ajudar a localizar os fugitivos. No caso de Ignatova, ela é a única mulher da lista. A polícia oferece uma recompensa de US$ 100 mil por qualquer informação sobre o paradeiro da golpista.

Acredita-se que ela desapareceu com pelo menos US$ 500 milhões . “Também acreditamos que ela possui documentos de identidade falsos de alta qualidade e mudou sua aparência”, disse o jornalista investigativo Jamie Bartlett, que escreveu um livro sobre o caso (disponível aqui).

A Rainha das Criptomoedas foi vista pela última vez embarcando em voo da Bulgária para a Grécia. Segundo Bartlett, há dúvidas se ela ainda está viva.