O site Megacams.me é um “motor de busca para sexo ao vivo”, e lançou recentemente uma função de pesquisa que lhe permite enviar imagens de seu interesse amoroso para encontrar camgirls que se parecem com ela.

Sua conta do Brazzers pode ter sido exposta (não que você tenha uma)
Sites de pornografia deixam o Flash de lado e migram para vídeo que dispensa plugin

É um software de reconhecimento facial que faz a correspondência, explica o site: “desta forma, parece que você está fazendo sexo ao vivo com a pessoa em sua foto”. Exceto que, claro, você estaria fazendo sexo virtual com alguém que pode mais ou menos lembrar essa pessoa.

O Megacams alega usar software de detecção facial de código aberto inicialmente desenvolvido pela Intel. No entanto, o TechCrunch acredita que eles estão usando o Cognitive Services da Microsoft. Essa API oferece as primeiras 30.000 consultas de graça a cada mês e, em seguida, cobra US$ 1,50 para cada 1.000 pesquisas.

É a mesma API que a Microsoft usou em vários sites virais para demonstrar o software: um deles adivinha sua idade; outro encontra a celebridade que mais se parece com você; e outro encontra o cachorro mais semelhante a seu rosto.

Os resultados do Megacams.me, no entanto, não parecem muito promissores. O TechCrunch testou a precisão do serviço e descobriu que a melhor correspondência só tinha uma semelhança de 47%.

Ainda assim, este é mais um exemplo de como a verificação biométrica se tornou cada vez mais onipresente em serviços online. O Facebook, por exemplo, utiliza reconhecimento facial há anos para marcar pessoas automaticamente nas fotos.

O Uber, por sua vez, lançou um programa Real-Time ID Check nos EUA, exigindo que motoristas enviem uma selfie antes de começar a trabalhar, para confirmar que a pessoa registrada no app é a mesma dirigindo. Este programa usa a API Cognitive Services da Microsoft.

[TechCrunch]