Há quem ame e há quem odeie. Caso você goste ou não, o fato é que os emojis já se tornaram parte essencial da forma como muitos de nós nos comunicamos, e isso torna a questão de representatividade extremamente importante em relação à maneira como eles são desenhados. Pensando nisso, o Google acaba de lançar 53 novos emojis criados para serem mais inclusivos na questão de gênero.

Em uma reportagem exclusiva, a Fast Company  afirmou que os novos emojis não serão nem masculinos nem femininos, mas com gênero ambíguo. Os novos desenhos passaram por muitas revisões e alterações para evitar características que pudessem ser interpretadas como àquelas atribuídas a homens ou mulheres, optando, em vez disso, por cortes de cabelo e estilos mais fluídos.

Por exemplo, o emoji de um nadador agora veste o que parece ser um traje de mergulho em vez de uma sunga ou um maiô, e o que antes era uma sereia ou um tritão agora ganhou uma versão em que a parte humana da criatura mitológica está com os braços cruzados em vez de estar coberto por um par de conchas ou sem qualquer vestimenta.  Já o vampiro de gênero neutro é mostrado com um penteado estiloso e acessórios no pescoço. Outras novidades incluem zumbis, gênios(as) da lâmpada e atletas de diferentes modalidades esportivas.

De acordo com o visual dos emojis compartilhados com o Gizmodo, parece que a empresa ainda está ajustando alguns detalhes específicos dos personagens, incluindo mudanças em estilos de penteado ou roupas.

Jennifer Daniel, designer do Google e da Unicode Consortium, declarou à Fast Company que, em termos de design dos novos emojis, a empresa está aos poucos tentando abandonar detalhes que sejam expressamente femininos ou masculinos, o que certamente é uma resposta a questões de inclusão e uma lista em contínua expansão de milhares de opções de emojis.

“Gênero é uma questão complicada”, afirmou Daniel à revista. “Comunicar gênero com uma única imagem é uma tarefa impossível. É uma construção. É algo que existe de forma dinâmica em um espectro. Eu, pessoalmente, não acho que haja uma única solução visual, mas acredito que evitar essas questões é a abordagem errada. Nós não podemos evitar questões de raça, gênero e outros inúmeros aspectos de cultura e classe. É preciso encará-las de frente para entendê-las. É isso que estamos tentando fazer – encontrar os significados que fazem algo parecer feminino ou masculino, ou ambos”.

Um ponto importante que a Fast Company levantou é que ao enviar esses emojis para sistemas que não sejam Android, como para o iOS por exemplo, eles são convertidos para seus equivalentes masculinos ou femininos – por hora, pelo menos, até que outras empresas criem seus próprios emojis de gênero neutro.

Um porta-voz do Google afirmou que os emojis já estão disponíveis no Android Q Beta para qualquer um dos celulares listados aqui. Eles serão os primeiros a rodar o Android Q, cujo lançamento está previsto para o segundo semestre deste ano.