Smartphones estão crescendo e ganhando telas gigantes e a cada dia que passa eles se parecem mais com tablets. Mas e quando o que ocorre é o inverso, e um tablet tenta ser um smartphone? A Asus fez isso: no ano passado, ela lançou o Fonepad 7, com tela de 7 polegadas e a possibilidade de fazer e receber chamadas telefônicas. O Fonepad foi atualizado, e seu novo modelo foi lançado no Brasil – não só isso, ele agora é fabricado no Brasil.

O que é

O Asus Fonepad7 é um tablet com tela de 7 polegadas com processador Intel, Android e que além de tudo também faz ligações telefônicas. Sim, coloque seu chip no dispositivo e, além de aproveitar internet 3G ou 4G, você também pode conversar com outras pessoas. Mas será que é caso de se empolgar?

fonepad5

Para quem é

Para quem não gosta de carregar vários dispositivos de uma vez, e prefere a tela enorme de um tablet à de um smartphone. Para quem anda sempre com bolsa ou mochila, já que é difícil guardá-lo no bolso. Para quem não se importa com o tamanho da tela e busca um smartphone bom a um preço bom (ele custa R$ 999). E, por fim, para quem quer um bom tablet com Android.

Design

O design do Fonepad passa uma ideia de durabilidade, apesar da sua traseira de plástico (meio brilhante). Na parte frontal, além da tela, a Asus colocou dois speakers – um na parte superior e um na inferior da tela. A forma como a sua traseira é levemente dobrada para trás faz com que sua mão nem sempre fique posicionada em cima dos speakers quando segurando o tablet em posição paisagem – ou seja, seus speakers serão muito úteis para ver um filme, por exemplo -, mas algumas vezes fiz com que o som fosse abafado pela minha mão. Não é perfeito, mas melhor do que em outros tablets pequenos, como o iPad mini e seu speaker próximo à porta Lightning. Além disso, a parte frontal também tem uma câmera para videoconferências.

SONY DSC

Em uma das laterais está a entrada para chip Micro SIM, enquanto a outra conta com botões para acender a tela, aumentar ou diminuir o volume e entrada de cartão micro SD. A entrada de expansão de memória não é protegida, como a do chip telefônico. Os botões estão posicionados em uma leve inclinação para trás e é bem fácil encontrá-los para apertá-los – mesmo que sejam um pouco duros, mas é questão de costume.

SONY DSC

Na traseira, além de um efeito brilhante que achei meio brega, a Asus também colocou a câmera. E é apenas isso: câmera e um logo da Asus. Na parte superior está a entrada de fone de ouvido e, na inferior, micro USB e – importantíssimo – o microfone.

Usando

Existem dois cenários possíveis para o uso do Fonepad. Um deles é como tablet – onde ele brilha. O outro é como smartphone, e aqui, como esperado, ele não é perfeito.

Como tablet

fonepad4

Por dentro, o Fonepad tem um chipset Intel Atom Z2560 dual-core de 1,6GHz, GPU PowerVR SGX544MP2 e 1GB de RAM. É um conjunto bem decente e faz com que ele rode tudo com bastante leveza – jogos pesados, como Dead Trigger 2, fluem perfeitamente no dispositivo.

O display LDC IPS tem resolução de 800×1280 pixels nas suas 7 polegadas (216 pixel por polegada) e é bem bonita. É a mesma tecnologia e resolução encontradas no Google Nexus 7 lançado em 2012 – feito também pela Asus – e pode ser meio frustrante quando comparado com a resolução 1200×1920 do Nexus 7 de 2013, mas, na prática, não importa muito – a tela aqui é excelente para o que o tablet promete. As cores são bem vivas e os ângulos de visão são bons. Só não tente olhar para  a tela sob a luz do sol – é praticamente impossível.

fonepad6

Software

De fábrica, o Fonepad sai com o Android 4.2 Jelly Bean, mas a Asus já liberou uma atualização para o 4.3 (nada de KitKat, por enquanto). E nada de skin pesada e invasiva que mais ajuda do que atrapalha: a Asus deixou o Android quase intocado em relação ao stock do Google, com apenas uma ou outra adição que visa a facilitar o uso para seus usuários.

Temos, por exemplo, um pacote de aplicativos da própria Asus: Agenda, Tasks (tarefas), App Lock (bloquear acesso a um app, ou proteger com senha), Story (crie um álbum virtual com suas fotos), entre outros. Todo o pacote de aplicativos do Google também está presente, como de costume, então seu Gmail, Google Drive e tudo mais estará lá.

Na parte inferior da tela estão os botões virtuais. A Asus mexeu levemente aqui: ainda encontramos três botões padrões do Android (voltar, tela inicial e multitarefa), mas, no canto esquerdo da tela, temos algo próprio da Asus: apps flutuantes, que aparecem como pequenas janelas por cima do que você está fazendo para auxiliar de alguma forma. Entre esses apps flutuantes temos calculadora, dicionário (apenas em inglês, nada de português), reprodutor de vídeo, conversor de unidades, cronômetro, bússola e notas.

appflutuante

Esses apps flutuantes foram desenvolvidos especificamente pela Asus, mas a ideia não é exclusiva da empresa – a Sony, por exemplo, também disponibiliza pequenos apps em janelas que podem ser movidas pela tela também em alguns smartphones.

No geral, as mudanças são poucas, mas são bem vindas. Você pode não usar nunca os apps da Asus nem os flutuantes e preferir usar apenas o Fonepad como se fosse com o Android stock – isso é totalmente possível. Mas são pequenas adições como essa que espero em modificações de Android – nada de recursos inúteis ou que não funcionam direito, nada de repaginação visual. Se não for para usar, quero ao menos poder ignorar. E com o Fonepad eu posso fazer isso.

fonepad7

Câmera

A câmera frontal tem 1,2 megapixels, e a traseira tem 5 megapixels. O app da câmera foi totalmente refeito pela Asus, que incluiu alguns recursos extras – alguns deles bastante dispensáveis. Eis a interface da câmera:

cameraapp

No canto esquerdo estão as configurações. Na parte superior, você pode trocar da câmera traseira para a frontal. Na inferior, acessar configurações avançadas. O botão do meio inclui filtros nas fotos. No canto esquerdo temos o botão para capturar a foto (ou vídeo) – também é possível fazer isso pressionando o botão para aumentar volume. E, no canto inferior, outras opções para tirar foto – além de modo automático, com pouca luz, HDR, panorama e em grupo ainda temos alguns como animação GIF, que junta várias imagens tiradas em sequência de algo em movimento no formato de um GIF animado. Nas opções de vídeo, além da gravação normal também há a passagem de tempo para gravar uns timelapse bacanas.

No geral, a qualidade das fotos não é grande coisa. O modelo do teste foi este Donkey Kong, fotografado em um quarto iluminado. Mesmo em condições melhores de luz a qualidade da foto não é surpreendente. Estamos falando aqui de um sensor de 5 megapixels. A câmera também não tem flash.

Confira o ensaio completo de Donkey Kong (com todos os filtros disponíveis no app da câmera):

Como smartphone

O Fonepad também faz e recebe chamadas, certo? E como ele se sai nisso? Bem, as chamadas são boas, com boa qualidade de som. O mínimo que se espera de um telefone. Mas é estranho. Muito estranho.

SONY DSC

Ao segurar o tablet em posição retrato, com a câmera frontal acima da tela, o microfone fica posicionado na parte inferior, à esquerda. O que isso significa? Bem, a ideia da Asus é que, para quem quiser segurar o Fonepad como um smartphone e levá-lo à orelha para conversar no telefone, vai precisar fazer isso com a mão direita e no lado direito da cabeça. Assim, o microfone fica próximo à sua boca e consegue pegar melhor o que você fala.

Claro, segurar um aparelho de 7 polegadas próximo à sua cabeça sempre vai ser estranho, mas não significa que você deva ignorar totalmente a capacidade de telefone do Fonepad. Ele pode funcionar bem com um fone de ouvido Bluetooth, por exemplo – infelizmente a Asus não incluiu um no pacote, o que é uma pena.

Conclusão

Como tablet, o Fonepad é muito bom. Não é o melhor do mercado com Android, e não tem a pretensão de ser. Pelo preço de R$ 999, em um primeiro momento ele pode não parecer muito atrativo, mas seu desempenho é bastante satisfatório no geral, e a possibilidade de realizar chamadas faz com que ele seja uma alternativa para quem busca um dispositivo com as duas funções – não há um phablet no mercado brasileiro por esse preço.

Além da estranheza do seu uso como smartphone (novamente, apenas sem o fone de ouvido, mas a ausência dele na embalagem do aparelho é algo a se lamentar), a câmera não é grande coisa, mesmo com alguns recursos incluídos pela Asus para dar mais opções aos usuários – a maior parte provavelmente será ignorada.

O Fonepad 7 já está à venda nas principais redes de varejo do Brasil pelo preço sugerido de R$ 999.