Eu estou sentada aqui digitando no novo MacBook Pro de 13 polegadas da Apple. Ele consegue ser, ao mesmo tempo, uma atualização incremental e radical em relação aos modelos dos últimos anos. O que eu comprei em 2017 esta aqui ao lado dele e, embora os dois pareçam semelhantes, a experiência de usá-los é completamente diferente. Meu laptop de três anos tem o polêmico teclado borboleta, que a Apple está eliminando sua linha de produtos, mas ainda tenho que brigar com ele todos os dias. Depois de usar o novo Pro com o teclado tesoura, meu Pro antigo realmente me deixa com raiva.

O teclado borboleta não me incomodava tanto — ou pelo menos eu não pensava nisso com tanta frequência — até a tecla Shift esquerda parar de funcionar. Existem duas teclas Shift, é claro, mas, infelizmente, a esquerda é a minha favorita! Por causa da pandemia, não posso ir até uma loja da Apple e consertá-lo, por isso fiquei limitada ao maldito Shift da direita por meses.



O novo teclado é o teclado que sempre merecemos, e a Apple não fez mais do que a obrigação ao trocá-lo. Mas o MacBook Pro de 13 polegadas deste ano é muito bom. Se você está querendo comprar um novo MacBook e precisa do poder do Pro (e sente-se à vontade para pagar um preço caríssimo por um dispositivo Apple), então é esse o que deve comprar.

MacBook Pro de 13 polegadas (2020)

O que é?
A nova versão do laptop de 13 polegadas da Apple, agora com um teclado bom.

Preço
Nos EUA, a partir de US$ 1.300. No Brasil, a partir de R$ 14.300.

Gostei
O teclado tesoura faz muita diferença, no bom sentido. Performance consistente com o novo chip de 10ª geração da Intel. Bateria decente. Design clássico e premium.

Não gostei
Você precisa gastar ainda mais para comprar a versão com o processador mais recente.

O novo teclado é ótimo. O mecanismo de tesoura tem 1 mm de profundidade, mais que o minúsculo deslocamento de 0,6 mm dos teclados borboleta. A diferença é perceptível. Quero um teclado que não se torne inutilizável só porque derrubei migalhas nele (eu me conheço, é inevitável).

A estrutura de alumínio continua a mesma. A Apple não está mais superando os limites de design dos laptops (isso é algo em que a Dell e a HP estão mais interessadas), e talvez isso esteja bom. Meus colegas podem querer uma câmera com um posicionamento estranho para ter telas com molduras mais finas ou uma espessura menor do corpo do aparelho. Eu não ligo para isso.

O teclado dele é muito, muito bom. Foto: Caitlin McGarry/Gizmodo

A Apple também aprimorou as especificações do Pro no modelo 2020 — quer dizer, se você gastar um pouco mais. O preço do novo MacBook Pro de 13 polegadas começa em US$ 1.300 (R$ 14.300 no Brasil), mas você se contentará com um desempenho mais lento se optar por ela.

A versão de US$ 1.800 (R$ 21.800 no Brasil) que testei vem com processador i5 Ice Lake da 10ª geração da Intel, com 4 núcleos e 8 threads, 512 GB de armazenamento, 16 GB de RAM e quatro portas USB-C que suportam Thunderbolt 3. O modelo básico tem duas portas, menos RAM e menos espaço de armazenamento.

Se você precisar de mais potência, tem a opção de escolher 32 GB de RAM e processador i7. O máximo desempenho está no MacBook Pro de 16 polegadas com processador i9, de 8 núcleos e 16 threads, que custa bem mais caro.

Ao colocar o MacBook Pro lado a lado com máquinas Windows de tamanho semelhante, como o novo XPS 13 da Dell (que custa a partir de US$ 1.250) e o Razer Blade Stealth de 13 polegadas (que custa a partir de US$ 1.100), o laptop da Apple se garante.

Tanto nos testes reais quanto nos benchmarks sintéticos, incluindo Handbrake para edição de vídeo, Blender para renderização de imagem 3D e Geekbench 4 para desempenho geral do sistema, o MacBook Pro de 13 polegadas estava a par ou melhor que os mais novos laptops da Dell e Razer (ou pelo menos que as unidades que testamos).

Nos testes do Blender e do Handbrake, o MacBook Pro superou o Dell XPS 13 2020 de US$ 1.750 — que tem processador Core i7-1065G7, 16 GB de RAM e SSD NVMe m.2 de 512 GB — e também o Razer Blade Stealth — que também tem um processador Intel Core i7.

Mas vamos ser realistas. Os potenciais compradores do MacBook Pro não estão de olho no Razer Blade Stealth, um laptop portátil para jogos, ou um Dell.

Eles querem o macOS e estão tentando decidir entre os MacBook Pros de 13 e 16 polegadas, ou talvez o MacBook Air mais acessível (mas menos poderoso), que custa a partir de US$ 1.000 e também possui o novo teclado e um processador Intel de 10ª geração.

Entretanto, o Air usa as CPUs da série Y, que são menos potentes, enquanto o Pro fica com a série U. O Air também não possui a Touch Bar do Pro, mas esse é um recurso polêmico para mim. Ele é útil em alguns apps, como o Pixelmator, mas não achei um caso em que ele seja indispensável. Por outro lado, eu não abro mão do Touch ID — com ele, eu consigo desbloquear o MacBook Pro instantaneamente.

O MacBook Pro tem a mesma cara de sempre, mas isso não é necessariamente uma coisa ruim. Foto: Caitlin McGarry/Gizmodo

A duração da bateria do Pro é decente. Ele conseguiu 8 horas e 10 minutos em nosso teste de resumo de vídeo, o que está na média. Mesmo assim, se a duração da bateria for sua principal prioridade, é bom saber que o novo XPS 13 aguentou quase 10 horas fora da tomada.

Se você comprou um MacBook Pro nos últimos anos, o novo Pro de 13 polegadas vai deixar você irritado porque você provavelmente vai querer comprá-lo. E você provavelmente deveria… quando o teclado do seu MacBook antigo quebrar de vez. Muita gente que eu conheço comprou este laptop logo que ele foi colocado à venda, antes mesmo que eu tivesse a chance de testá-lo, e por boas razões. Para a maioria das pessoas, é o MacBook que você quer para trabalhar.

Leia-me

  • Finalmente, um bom teclado.
  • Desempenho sólido.
  • O Touch ID ainda é incrível, a Touch Bar ainda é ¯\_(ツ)_/¯
  • Caríssimo se você quiser o processador mais novo e mais rápido.
  • Nós amamos este laptop.