Por anos, a OnePlus tem incomodado gigantes como Samsung e Huawei com smartphones despojados com boas especificações e designs sólidos. E para muitas pessoas, isso é totalmente ok, pois o OnePlus oferece ótimo desempenho por algumas centenas de dólares a menos que os competidores.

Mas no OnePlus 7 Pro, estamos vendo um novo tipo de equilíbrio. A partir de US$ 670, o Oneplus 7 Pro não é apenas o mais caro OnePlus já lançado, mas também é o mais luxuoso. Com recursos como câmera selfie pop-up, um display impressionante sem recortes, câmera tripla e preço alto, toda a narrativa de David contra Golias da OnePlus tentando derrubar outras fabricantes de aparelhos topo de linha não cola mais. Então, mas e o aumento de preço? Vale a pena mesmo após a OnePlus conquistar seu espaço entre os intermediários?

Resumindo, sim, vale a pena. Embora o preço tenha aumentado, o crescimento de “aparelhos top de linha de entrada”, com o Galaxy S10e, iPhone XR e Honor View 20, criou um campo de batalha na faixa de US$ 700. Esta é uma guerra para tentar conquistar as pessoas que lembram da época que telefones topo de linha custavam entre US$ 600 e US$ 650 em vez de US$ 1.000, mas também pessoas que simplesmente não querem gastar tanto num aparelho. E entre o preço parecido desses competidores, o OnePlus 7 Pro é o dispositivo que eu compraria.

OnePlus 7 Pro
O que é?
Aparelho topo de linha da OnePlus
Smartphone OnePlus 7 Pro
Preço
Começa em US$ 670 nos EUA (não está disponível no Brasil)



Curti
Tela sem recortes, ótimas especificações, leitor de biometria na tela superrápido, câmera tripla, modelo na cor azul é lindo, grande bateria e carregamento superrápido

Não curti

Não tem carregamento sem fio, não tem classificação oficial de resistência à água e fotos tiradas em ambientes com pouca luz são apenas ok.

Basta dar uma olhada de perto nele para curti-lo. Na frente, ele tem uma tela gigante de 6,7 polegadas (3120 x 1440) fornecida pela Samsung, que além de exibir cores ricas e vibrantes, suporta taxa de atualização de 90 Hz. Isso faz da tela do OnePlus 7 Pro uma das mais bacanas do mercado. Na prática, fazer coisas mundanas, como navegar pelos menus ou aplicativos, se torna uma pequena alegria, enquanto você observa os itens passando por seus olhos com movimentos puros e fluídos.

Aí, seus olhos se acostumam com tudo isso, e você percebe que o OnePlus 7 Pro não tem nenhum entalhe, furos ou outras distrações neste belo display. Esse sentimento é quase o suficiente para transportá-lo para o futuro, para uma época em que os telefones já não têm mais recortes (notches), e isso faz você se perguntar: por que alguém suportou esses recortes na tela? A tela do OnePlus 7 Pro tem até um filtro de luz azul mais forte para não prejudicar os raios que impedem o sono. Dito isso, a tela do OnePlus 7 Pro é tão boa por si só que quase já justifica o acréscimo de US$ 100 em comparação com o One Plus 6T. Mas, claro, o OnePlus não parou por aí.

Detalhe da tela do OnePlus 7O One Plus 7 Pro não tem nenhum recorte na tela

Logo abaixo da tela tem um queixo fino com um speaker, que funciona como um conjunto com outro alto-falante montado no fundo do telefone para oferecer um som estéreo real, algo que os telefones da OnePlus nunca tiveram. O OnePlus 7 Pro também aumentou seu carregador de 22,5 W para 30 W e agora ele se chama Warp Charge. Estamos falando da habilidade de carregar um aparelho de 0 a 50% em coisa de 15 ou 20 minutos. E com uma bateria de 4.000 mAh que durou 13 horas e 36 minutos em nossos testes (15 minutos a mais que os 13h20m do Galaxy S10e), dá para usar tranquilamente durante um dia de trabalho.

Dito isso, acho que o fato de o OnePlus não ter carregamento sem fio no OnePlus 7 Pro algo decepcionante. Em aparelhos anteriores, o custo adicional para ter o carregamento sem fio tornava a decisão compreensível. Enquanto isso, o OnePlus disse que as velocidades de carregamento sem fio atualmente são muito inferiores à proporcionada pelo carregador Warp Charge, e eles estão certíssimos nisso. No entanto, o carregamento sem fio não é necessariamente sobre velocidade, mas sobre conveniência, e em um telefone que custa US$ 700 e com a palavra Pro eu sem nome, o carregamento sem fio é algo que eu ainda acho que o OnePlus 7 Pro deveria ter. Se tivesse, o telefone seria quase intocável nessa faixa de preço.

Detalhe da traseira do OnePlus 7 ProEsta é a melhor cor de smartphone já lançada neste ano

Estou menos incomodado com o fato de o OnePlus 7 Pro não ter uma classificação de proteção contra água e poeira. A empresa diz apenas que o OP7 Pro deve ser mais do que o suficiente se seu aparelho pegar alguma chuva ou cai um ou outra vez na água. Espero que eles façam um trabalho melhor explicando quão boa é essa resistência à água, e talvez disponibilizem algum tipo de garantia.

É preciso também mencionar que a versão azul do OnePlus 7 Pro (que a companhia chama de Nebula Blue). Sua parte traseira de vidro usa várias camadas que absorvem a luz de diferenes maneiras, dando ao telefone uma aparência fosca, que o suga como um buraco negro. Assim, embora a Huawei ainda tenha a melhor seleção de cores no mundo dos smartphones, o OnePlus 7 Pro em azul é a única opção de cores que mais me encantou até o momento.

A OnePlus não economizou nas pequenas coisas e em corrigir problemas das versões anteriores ao equipar o OnePlus 7 Pro com um motor de vibração mais robusto. O smartphone conta com um útil gravador de tela integrado para que você possa salvar seus vídeos nativamente, um recurso que o Google ainda não adicionou ao Android. A empresa também aumentou o tamanho e a velocidade do leitor óptico de impressões digitais na tela do aparelho, por isso não há praticamente nenhuma diferença entre ele e os sensores de toque encontrados nos telefones de última geração.

Detalhe da câmera tripla do OnePlus 7 ProCâmeras triplas são tendência em aparelhos top de linha e a OnePlus a seguiu com o OnePlus 7 Pro. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Na parte de trás, o OnePlus 7 Pro conta com três câmeras, com o sensor primário com resolução de 48 MP, além de uma grande angular de 16 MP e uma teleobjetiva de 8 megapixels com zoom 3x. Este conjunto adiciona uma nova dimensão fotográfica ao OnePlus 7 Pro, o que é ótimo para aqueles momentos que você não quer carregar uma câmera grande por aí. No entanto, comparado com outros aparelhos topo de linha, como Pixel 3, Galaxy S10 e S10e (que tem um conjunto parecido, com a diferença que o S10 não tem uma lente telefoto), o OnePlus ainda não consegue entregar a mesma qualidade de imagem oferecida por estes aparelhos.

Em uma comparação lado a lado, descobri que o OnePlus 7 Pro fica um pouco atrás em nitidez, constraste e saturação quando comparado com o Pixel 3 e o Galaxy S10. Não é algo gritante a ponto de eu querer considerar esses outros telefones (que são bem mais caros por sinal), mas a diferença está lá, mesmo que você não consiga ver quando as pessoas postarem no Instagram.

O maior problema do OnePlus 7 Pro em termos de fotografia é na captação de cenas com pouca luz. Sem ligar o modo Nightscape, as imagens captadas em ambientes escuros ficam mais suaves e granuladas comparados com a dos seus competidores. Esta é uma daquelas situações que o conhecimento do Google e da Samsung com HDR e inteligência artificial faz toda a diferença.

Mesmo assim, graças ao modo Nightscape, o OP7 Pro pode se dar bem em alguns cenários, e chegar bem próximo de resultados que obtive com um Pixel 3 quando tirei foto de uma paisagem noturna. Às vezes, parece que o modo Nightscape dava uma exagerada no brilho em fotos com pouca luz, como evidenciado por uma foto que tirei de um graffitti em que as bordas estão muito claras.

Câmera selfie pop-up do OnePlus 7 ProCrédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Também gostei da lente teleobjetiva de 3x do OnePlus 7 Pro, pois ela só não tem mais alcance que o Huawei P30 Pro. O zoom óptico de 3x é uma boa adição para um smartphone, e mesmo com um pouco menos de resolução para trabalhar, as fotos são bem nítidas.

No entanto, quando se trata de selfies, os fãs de longa data da OnePlus podem ter problemas com a câmera do OP7 Pro, não porque ele tira fotos ruins (na verdade, as fotos são boas), mas porque parece sair da filosofia da empresa de “essentials only” (de oferecer somente o essencial). Essa câmera evita a presença de um notch, e se você é alguém que gosta de tirar muitas selfies, acho que é uma concessão inteligente.

Porta USB-C do OnePlus 7 ProCrédito: Sam Rutherford/Gizmodo

E se você preferir usar o reconhecimento facial em vez do seu dedo para desbloquear o telefone, isso também funcionará, e quando estiver ativado, você terá a chance de ver e ouvir aquela pequena câmera motororizada aparecer toda vez que quiser acessar o aparelho. Todo o processo é um pouco mais lento que o FaceID , da Apple, mas não é irritante. O OnePlus até instalou um recurso complicado que retrai automaticamente a câmera ao detectar que o dispositivo está caindo (você pode ver isto em ação estendendo a câmera pop-up e, em seguida, jogando o telefone no ar, mas não chore se cair no chão e se espatifar, então fique esperto).

Ao mesmo tempo, a OnePlus afirma que a câmera selfie deve sobreviver pelo menos 300 mil ciclos, o que significa cerca de 150 utilizações por dia durante cinco anos. Para muitas pessoas, essa câmera pop-up pode ser um problema, mas, para melhorar a tela eliminando a necessidade de um corte, acho que vale a pena.

Traseira do OnePlus 7 Pro na cor azulAqui na lateral, a OnePlus facilitou a tarefa de colocar no modo silencioso. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Como você deve esperar de um telefone OnePlus, o OnePlus 7 Pro oferece ótimo desempenho graças ao seu processador Qualcomm Snapdragon 855 e ao suporte ao armazenamento UFS 3.0, 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. E se isso não for suficiente, existem configurações mais bem equipados com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento por US$ 700, e uma outra com 12 GB de RAM por US$ 750.

A OnePlus adicionou inclusive até um sistema de resfriamento líquido para manter o desempenho consistente, além de um novo modo para otimizar a memória RAM para gamers que exigem mais do telefone. Só estou um pouco chateado, pois a única forma de ter o modelo na cor azul é comprando a versão de 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento.

Considerando o preço, o OnePlus 7 Pro é facilmente um dos melhores smartphones disponíveis no momento, o que é bem impressionante, considerando que este telefone tem uma lista mais caprichada de recursos que a companhia já fez. O único outro telefone que chega perto é o Pixel 3a, que consegue oferecer a mesma experiência de câmera fantástica do Pixel 3, mas com um preço inicial de US$ 400 e hardware bem mais modesto.

Mas quando penso na tela gigantesca do OnePlus 7 Pro, nas três câmeras na traseira e este novo design estiloso, há muitas coisas que me atraem nesse aparelho. A OnePlus, em vez de ser um “matador de aparelhos topo de linha”, resolveu adotar uma abordagem diferente, com o objetivo de mirar um segmento de “topos de linha de entrada”, e bater seus concorrentes num setor que eles atuam há mais tempo.

Direto ao ponto

  • Por US$ 700, o OnePlus 7 Pro é o telefone mais caro já lançado pela empresa, mas vale a pena;
  • Existe uma versão “não-Pro” do OnePlus 7 que não tem a câmera pop-up e tem apenas duas câmeras traseiras, mas não está disponível nos EUA, muito menos no Brasil por meios oficiais;
  • A mudança para câmera tripla foi boa, mas mesmo no modo Nightscape, o OnePlus 7 Pro em situações com pouca luz ainda não é tão bom quanto o de competidores;
  • Se você acha muito caro o preço do OnePlus 7 Pro, o OnePlus 6T teve uma redução e agora custa US$ 550 nos EUA.