O diretor-geral da agência espacial Roscosmos, Dmitry Rogozin, anunciou que a Rússia vai se retirar do programa da Estação Espacial Internacional (ISS). Isso significa que os russos devem abandonar o programa antes mesmo da aposentadoria do laboratório orbital, previsto pela NASA para ocorrer em 2031.

De acordo com o Bloomberg, o anúncio foi feito no último sábado (30), em entrevista para uma TV estatal russa. Ainda não há uma data oficial para esta saída, mas Rogozin afirmou que avisará aos parceiros quando isso ocorrerá com um ano de antecedência.

Ainda na entrevista, afirmou que a participação na ISS é determinada “pelo governo e pelo presidente” e que os trabalhos a bordo da estação devem continuar até pelo menos 2024. “A decisão já foi tomada, mas não somos obrigados a falar publicamente”, disse Rogozin.

Vem aí a Estação Espacial da Rússia

Vale lembrar que os russos estão desenvolvendo a sua própria estação espacial, a ROSS (sigla para “Estação de Serviço Orbital Russa”). A expectativa é que o primeiro módulo seja lançado em 2025.

Com o lançamento da ROSS, é natural que os russos deixem a ISS em algum momento no futuro. Porém, essa saída antecipada é motivada pelo isolamento e sanções que a Rússia vem sofrendo por conta da guerra na Ucrânia.

Segundo apontou o site Space, Rogozin critica as sanções e diz que elas podem minar a colaboração entre os países. Apesar dessas ameaças e das tensões políticas, as operações na ISS continuam normais, sem quaisquer riscos imediatos para as pesquisas científicas ou para os astronautas a bordo.