Poucas horas após a Agência Espacial Americana (NASA) lançar uma missão espacial teste de colisão contra um asteroide, a Rússia também lançou um módulo para a Estação Espacial Internacional.

A Rússia enviou ontem (24), seu último módulo à Estação Espacial Internacional (ISS). O módulo “Prichal” decolou a bordo de um foguete Soyuz-2 a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 10:07 (horário de Brasília).

Ele será acoplado ao módulo científico Nauka, lançado em julho deste ano, e adicionará à estação seis portas para conexão de espaçonaves como as Soyuz e Progress, que transportam cosmonautas e carga para a ISS.

A Roscosmos, agência espacial russa, confirmou a separação da nave e do terceiro estágio do foguete. Segundo a NASA, a nave e o módulo chegaram à órbita em segurança e seguem com destino à ISS. A Progress transportará o módulo e ambos devem chegar à ISS somente na sexta-feira (26), por volta das 12h26, no horário de Brasília.

O Prichal é um módulo esférico de 4 toneladas, que mede cerca de 13 metros cúbicos, para efeito de comparação, as cápsulas de carga e tripulação Dragon da SpaceX apresentam 9,3 metros cúbicos (328 pés cúbicos) de volume pressurizado.

 

Assine a newsletter do Gizmodo

A Prichal possui seis portas de acoplagem, e uma sera conectado ao porto de Nauka voltado para à Terra na sexta-feira. Os outros cinco estarão disponíveis para espaçonaves visitantes, visando ajudar a “expandir as capacidades técnicas e operacionais da infraestrutura orbital do segmento russo da ISS”, escreveu a agência espacial federal russa.

O Prichal é o último componente do “lado russo” da ISS, concluído após mais de 23 anos e inúmeros atrasos. Seu lançamento estava originalmente previsto para 2012, mas foi sucessivamente adiado devido aos atrasos na produção e lançamento do Nauka.