Uma senadora estadual do Alasca foi filmada discutindo com a equipe da Alaska Airlines e a polícia no Aeroporto Internacional de Juneau por se recusar a usar máscara antes de embarcar em um voo. Ela descobriu da maneira mais difícil que as suas ações têm consequências.

O Alaska Daily News informou que, embora a senadora Lora Reinbold, do Partido Republicano, tenha conseguido embarcar no avião no centro da discussão na semana passada, ela não conseguiu pegar um voo de volta neste fim de semana. Isso porque a Alaska Airlines a baniu.

“Notificamos a senadora Lora Reinbold que ela não tem permissão para voar conosco por sua recusa contínua em cumprir as instruções dos funcionários em relação à atual política de máscara”, disse Tim Thompson, porta-voz da companhia aérea, ao Daily News. “Esta suspensão entra em vigor imediatamente, pendente de uma análise mais aprofundada.”

De acordo com o Washington Post, a Alaska Airlines é a única operadora de voos de Anchorage, onde estão localizados a residência da senadora e seus constituintes no subúrbio de Eagle River, e Juneau, a capital do estado onde ela trabalha. Isso significa que, em vez de pegar um voo de aproximadamente uma hora e quarenta minutos para Juneau neste fim de semana para a retomada dos trabalhos legislativos na segunda-feira, Reinbold teve que dirigir por mais de 14 horas em uma rota sinuosa que passou por parte do Canadá para chegar a um dos portos de balsa localizados nas cidades de Skagway ou Haines. A viagem adicional de balsa de Skagway a Juneau leva “menos de seis horas”, de acordo com o site de turismo de Juneau (Haines fica um pouco mais perto).

Essa não é exatamente uma viagem conveniente, somando cerca de 20 horas, e Reinhold provavelmente terá que fazer essa ou outra rota complicada novamente no futuro. Um porta-voz da companhia aérea disse ao Daily News que a duração de sua proibição ainda não foi determinada e exigirá uma revisão.

Reinbold postou no Facebook reclamando que “até que haja uma determinação justa”, a Alaska Airlines deveria ter mantido a situação em sigilo. Ela afirmou ainda que “políticas corporativas de Covid” são potencialmente inconstitucionais: “A Alaska Airlines enviou informações, incluindo meu nome, para a mídia sem meu conhecimento ou permissão. Eu acredito que os direitos constitucionais estão em risco sob as políticas corporativas de Covid.” De acordo com Reinbold, a situação foi culpa de “funcionários nervosos no balcão”.

Em outras palavras, mais uma autoridade republicana alega que a inconveniência pessoal decorrente de suas próprias ações é uma violação de seus direitos civis. Tecnicamente, Reinbold estava exigindo que a companhia aérea permitisse que ela violasse a lei federal. A Administração de Segurança de Transporte começou a impor uma ordem executiva no final de janeiro obrigando “os indivíduos a usarem máscara nos pontos de verificação de triagem dos aeroportos e em todos os sistemas de transporte público e comercial”.

Assine a newsletter do Gizmodo

A página de Reinbold no Facebook está repleta de casos em que a senadora do estado questionou a eficácia ou segurança das vacinas contra o coronavírus e, em um caso, ela pediu aos constituintes que desenvolvessem “imunidade natural” até que as vacinas fossem formalmente aprovadas pela Food and Drug Administration. Portanto, há ampla justificativa para quem não quer contrair o vírus evitar estar próximo a ela. De acordo com o New York Times, esta não é nem a primeira vez que ela foi banida de algo — depois que Reinbold foi repreendido pelo governador do Alasca Mike Dunleavy em fevereiro por espalhar informações incorretas sobre o coronavírus e se recusar a respeitar os protocolos de segurança, ela foi banida de grande parte do capitólio do estado:

Em fevereiro, o governador Mike Dunleavy do Alasca, um republicano, enviou uma carta à Sra. Reinbold pedindo-lhe que parasse de compartilhar informações incorretas sobre a pandemia.

“Está claro que você abdicou dos princípios de seu juramento como funcionária pública”, escreveu Dunleavy. “Você contestou as motivações de funcionários não eleitos e apolíticos que trabalham para o Estado do Alasca com alegações infundadas que, em várias ocasiões, foram demonstradas a você como falsas.”

Em março, a Sra. Reinbold disse no Facebook que foi convidada a deixar uma audiência do comitê porque não estava usando uma máscara aprovada. Depois disso, a Sra. Reinbold foi banida do Capitólio do Estado até que cumprisse os protocolos de saúde e segurança.

O pior é que Reinbold não está sozinha: centenas de outros idiotas que não se importam com as centenas de milhares de mortos pela pandemia em todo o país foram banidos das companhias aéreas (e em alguns casos retirados de aviões) por violar os requisitos das máscaras. De acordo com o Daily News, o número de pessoas que foram banidas da Alaska Airline era de 506 em 23 de abril.