Realizada em Berlim, na Alemanha, a IFA é uma enorme mistura de eletrodomésticos, equipamentos de áudio, computadores e salsichas. E, diferentemente da CES, ela é aberta ao público. Pense em um Coachella para nerds de gadgets se quiser, mas com cerveja muito melhor. E é aqui que várias grandes empresas asiáticas e europeias têm a oportunidade de mostrar seus produtos, muitos dos quais nunca terão um lançamento mundial. Portanto, decidimos tirar um tempinho para passar por todos os grandes lançamentos de smartphone que aconteceram na IFA 2018.

• Xperia XZ3, novo topo de linha da Sony, vem com tela OLED e moldura sensível ao toque
• Veja mais da IFA 2018

ZTE Axon 9 Pro

Foto: ZTE

Espera aí, a ZTE está viva novamente? Pois é. Bom, pelo menos na Europa, porque, infelizmente, este celular não tem programação de chegar em outros mercados, como nos Estados Unidos. E mesmo depois de tirar um ano de pausa entre seu último dispositivo topo de linha, o novo Axon 9 Pro não parece nada ruim. Assim como o Axon 7 (a ZTE nunca chegou a fazer um Axon 8), o Axon 9 Pro traz alto-falantes estéreo e uma tela AMOLED, exceto que, desta vez, o tamanho do display foi de 5,5 polegadas para 6,21 polegadas. Enquanto isso, no interior, seus componentes foram atualizados com um Qualcomm Snapdragon 845, 6 GB de RAM, 128 GB de armazenamento, câmeras traseiras duplas e uma bateria grande de 4.000 mAh.

Infelizmente, a ZTE retirou o conector de fone de ouvido, enquanto na frente temos um notch. Além disso, parece que o Axon 9Pro virá com o Android 8.1 já na caixa. O design em geral do telefone é um pouco simples também, mas, com um preço de € 649 (R$ 3.058 na conversão atual), o que é € 220 a menos que o novo Galaxy S9, acho que haverá um bom número de pessoas dispostas a sacrificar seu estilo em troca desse preço.

LG G7 One

Foto: LG

Cobrimos extensamente o topo de linha mais recente da LG, mas, no G7 One, a empresa decidiu por uma abordagem mais modesta, mantendo o design lustroso de vidro e alumínio do G7, ao mesmo tempo em que deu ao celular componentes ligeiramente mais antigos, como um Snapdragon 835, apenas 4 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, com apenas uma câmera traseira, em vez de duas. Porém, uma coisa que você não encontrará no G7 One é a skin típica da LG para o sistema operacional do Google, já que, como indica o nome, este dispositivo roda o Android One.

Isso significa que seu sistema operacional é puro, e atualizações futuras de software serão geridas e enviadas pelo Google, e não pela LG. Portanto, você não ficará esperando meses por novos recursos. Essa mudança em si só pode ser razão suficiente para as pessoas darem uma nova chance à LG. E, embora a LG não tenha divulgado informações oficiais de lançamento ou preço, a companhia diz que o G7 One terá um “preço excepcional”, o que, se verdade, pode tornar esse smartphone uma alternativa intermediária atraente ao OnePlus 6.

HTC U12 Life

Foto: HTC

A HTC parece estar numa espiral da morte, mas isso não parece ter impedido a empresa de fazer novos smartphones. E, na IFA 2018, a companhia anunciou o U12 Life. Assim como seu irmão mais caro, o U12+, o Life vem com uma tela de 6 polegadas e um corpo de vidro acrílico. Mas é aí que param as semelhanças, porque, graças a uma cor chique de dois tons, especificações mais fracas e um preço inicial de £ 279 (R$ 1.466 na cotação atual), o U12 Life parece ter como principal atrativo seu preço.

Enquanto isso, o U12 Life tem uma bateria maior do que a do U12+ e um conector de fone de ouvido. Estranho mundo esse em que vivemos, onde, às vezes, um telefone mais barato tem um recurso importante que a versão mais cara não tem.

Sony Xperia XZ3

Foto: Sony

Neste ano, a Sony fez um grande retorno aos dispositivos móveis, com alguns dos melhores smartphones que a empresa já produziu em anos, com o XZ2 e o XZ2 Compact. Mas, então, ela não conseguiu evitar inundar o mercado com dispositivos demais. Mais especificamente, há cerca de um mês, ela lançou o XZ2 Premium, e, agora, já estamos vendo o XZ3.

E, pelas aparências, o XZ3 é basicamente um XZ2 com uma tela OLED maior, de 6 polegadas e resolução 2880 x 1440, em vez do display LCD de 5,7 polegadas e 2160 x 1080. A bateria do XZ3 também ficou um pouco maior, para dar maior suporte à tela maior, mas todo o resto é basicamente o mesmo, incluindo o design, a CPU, a RAM e o armazenamento. A Sony até mesmo manteve o mecanismo háptico dinâmico do XZ2, de que eu gosto bastante, porque parece que alguém colocou um Rumble Pak de N64 em um smartphone, tanto para games quanto para vídeos. Dito isso, não tenho certeza absoluta de que a mudança para OLED justifica lançar um novo aparelho. Mas se o XZ3 tiver desempenho como o do XZ2, provavelmente estamos vendo um ótimo aparelho.

Blackberry Key2 LE

Foto: Blackberry/TCL

Celulares com teclados físicos não são minha preferência, mas fico feliz que pelo menos uma empresa ainda esteja por aí insistindo nisso. E, como sucessor do Key2, a Blackberry anunciou o novo Key2 LE.

Aparentemente, o LE é de “Limited Edition”, mas, ao mesmo tempo, o LE poderia ser “Lowered Expectations”, ou “Expectativas Menores”, em tradução livre. Isso não é necessariamente algo ruim, porque, com preço partindo de US$ 400 (R$ 1.622 na cotação atual), você ainda tem o adorável teclado tátil, mas com um corpo renovado e a escolha de três cores: atomic, slate e champagne. O desempenho do Key2 LE não será tão rápido, já que o aparelho foi de um Snapdragon 660 para um Snapdragon 636, enquanto RAM e armazenamento ficaram em 4 GB e 32 GB respectivamente. Mas se você se importar só em ter um telefone com teclas reais que você pode pressionar, o Key2 LE é certamente uma maneira mais barata de se conseguir isso.

Honor Play

Foto: Honor

E, para completar a IFA, a Honor, submarca mais acessível da Huawei, lançou o Honor Play, que, diferentemente dos smartphones acima, vai atrás de gamers de dispositivos móveis que não podem gastar muito, com um telefone de € 329 (R$ 1.550 na conversão atual) que vem com um processador Kirin 970 e tecnologia GPU Turbo, da Huawei, para ajudar a manter as taxas de quadros lá no alto mesmo quando a ação esquenta. Por menos de US$ 400, 4 GB de RAM, 64 GB de armazenamento e 3.750 mAh são muito bons também. E, assim como seus primos mais caros da Huawei, ele também tem inteligência artificial embutida para ajudar a ajustar fotos tiradas com as câmeras duplas de 16 MP/2 MP. Infelizmente, esse parece ser mais um smartphone que não deverá chegar a muitos outros mercados, nem mesmo nos Estados Unidos, mas ainda é cedo para dizer com certeza.

Captura de tela: Honor

Mas a Honor não tinha encerrado sua apresentação com o Play, porque, antes de encerrar seu evento de imprensa da IFA, a empresa mostrou o Honor Magic 2, que traz um display deslumbrante sem moldura superior e inferior e um módulo de câmera popup como aquele do Oppo Find X, mas com uma grande diferença. Em vez de o Magic 2 usar motores para revelar a câmera quando você abre o aplicativo de fotos, você precisa abrir o telefone sozinho. É um tipo de solução de baixa tecnologia para o problema de alta tecnologia de como se livrar de entalhes, mas eu gosto da simplicidade e da referência aos celulares deslizantes de antigamente.

E, se isso não for o bastante, parece que o Magic 2 também tem um assistente de voz chamado Yoyo, que eu não sei se é algo de que o mundo realmente precisa, mas vamos descobrir mais tarde o que faz dele especial.

Bônus: Xiaomi Mi Mix 3

Foto: Lin Bin (Weibo)

Ok, tecnicamente, este smartphone não foi anunciado na IFA, mas parece que, depois de ver o presidente da Honor, George Zhao, mostrar o Honor Magic 2 em Berlim, o presidente da Xiaomi, Lin Bin, postou essa foto no Weibo, mostrando o Xiaomi Mi Mix 3, a ser lançado, que traz um visual de celular com câmera deslizante bem parecido. Infelizmente, Bin não revelou outros detalhes, mas, com base em modelos anteriores, o anúncio oficial do Mi Mix 3 deve acontecer entre setembro e dezembro.

Imagem do topo: IFA