Se você cria um produto de sucesso, alguém vai tentar copiá-lo. A regra é quase universal, aplicando-se a livros de ficção erótica da mesma forma que se aplica a iPhones. Mas e se ninguém estiver a fim de copiar o seu trabalho? Bem, aí você provavelmente está em apuros.

Segundo a CNN, chineses que criam versões xing-ling se recusam a apostar na computação vestível, como o Google Glass e relógios de pulso inteligentes, possivelmente porque quase ninguém está interessado neles.

Você já deve ter ouvido que 2014 será o ano da tecnologia vestível. Smartwatches! Realidade aumentada! Promessas! A CNN parece indicar o contrário, apontando o simples fato de que, se houvesse demanda por esses produtos, os falsificadores teriam se apoderado deles, da mesma maneira que fazem com a linha Samsung Galaxy ou relógios Rolex. Da CNN:

[Falsificadores] não se preocupam com o Galaxy Gear porque a demanda dos consumidores é muito fraca”, disse outro assistente de loja em seus vinte e poucos anos, que estava vendendo o que ele disse serem produtos reais da Samsung – exceto o relógio inteligente. “Nós não o vendemos mais. Ele não era popular.”

Ou seja, muito se fala sobre wearables no mundo da tecnologia, mas não está claro que surgiu um mercado para eles.

O Google Glass vem evoluindo, mas ainda é limitado – e deve ser lançado ainda este ano. Quanto ao Sony Smartwatch, Samsung Galaxy Gear, ou até mesmo o quase decente Qualcomm Toq, nenhum tem o acabamento necessário para capturar a atenção de consumidores em geral – e de falsificadores.

Isso não significa que a tecnologia vestível nunca será boa. Significa apenas que ele ainda não é boa. [CNN via The Awl]