Um baita marco para os entusiastas de energia solar: o Solar Impulse 2 conseguiu o feito de ter dado uma volta ao mundo usando apenas energia de nosso astro rei. A viagem foi completada nesta segunda-feira (25), quando a aeronave chegou a Abu Dhabi (Emirados Árabes).

Avião movido a energia solar volta aos céus e atravessa o Oceano Pacífico
Este avião fará uma volta ao mundo usando somente energia solar

A viagem do avião Solar Impulse 2 começou em março de 2015 em Abu Dhabi e durou ao todo 505 dias. O processo exigiu algumas paradas por questões meteorológicas e para troca de piloto. Nesse período, a aeronave cruzou oceanos e fez paradas em uma série de aeroportos. Como nota o Guardian, o avião poderia voar por horas, porém, o único tripulante da aeronave (no caso, o piloto) piloto precisa descansar — deve ser um pouco chato ficar horas a fio viajando sozinho, né?

APTOPIX Mideast Solar Plane

Chegada do Solar Impulse 2 a Abu Dhabi nesta segunda-feira (25). Crédito: Aya Batrawy/AP

Importante lembrar que o avião não é tão rápido quanto um comercial. Ele atinge velocidades bem baixas, na casa dos 50 km/h, porém, caso a luz solar esteja mais forte, ele consegue ir mais rápido, atingindo 140 km/h.

A aeronave conta com 17 mil baterias solares eu suas asas, responsáveis por fornecer energia para uma série de motores elétricos e de carregar quatro baterias de lítio que ficam dentro do avião.

Durante o dia, as baterias solares, que representam um quarto do peso do avião de 2,3 toneladas, são carregadas. Aproveitando a luz do dia, o piloto consegue voar em 29 mil pés. Para economizar energia, durante a noite, a altitude cai para 5.000 pés.

Falando ao Guardian, ainda na cabine do Solar Impulse 2 e chegando à Abu Dhabi, o piloto suíço Bertrand Piccard ressaltou a importância do feito:

“Todas as tecnologias limpas que usamos, pode ser usada em qualquer lugar. Nós conseguimos voar mais de 40 mil km, mas agora cabe às outras pessoas irem além. Depende de cada pessoa em casa, chefes de estado, prefeitos, empreendedores e diretores de uma companhia de levarem a ideia adiante.

Essas tecnologias podem fazer do mundo um lugar muito melhor e temos de usá-las, não só por causa do meio ambiente, mas pelo fato de elas serem lucrativas e criarem empregos”

[Guardian e Solar Impulse]

Foto do topo: Solar Impulse 2 voa sobre ponte Golden Gate, de San Francisco, nos EUA. Crédito: Noah Berger/AP