Acusando a gigante da tecnologia de “descaradamente e conscientemente” infringir suas patentes de tecnologia, a fabricante de alto-falantes Sonos entrou com dois processos contra o Google na terça-feira (7), depois de anos de conversas de bastidores entre as duas companhias aparentemente fracassarem.

A Sonos apresentou queixas no Distrito Central da Califórnia e perante a Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos, uma agência federal quase-judicial, sobre cinco patentes depois de avisar o Google sobre as supostas violações repetidamente. A empresa está buscando uma recompensa financeira e uma ordem judicial para proibir as vendas de determinados dispositivos do Google, incluindo laptops, alto-falantes e smartphones.

O Google disse ao Gizmodo que contesta as alegações e se defenderá “vigorosamente” no tribunal.

“Ao longo dos anos, tivemos inúmeras conversas com a Sonos sobre os direitos de propriedade intelectual de ambas as empresas e estamos desapontados por a Sonos ter apresentado esses processos em vez de continuar as negociações de boa fé”, disse um porta-voz do Google.

O CEO da Sonos, Patrick Spence, chamou o Google de “um parceiro importante” com quem a Sonos colaborou com sucesso há muito tempo, “incluindo trazer o Assistente do Google para a plataforma Sonos no ano passado”. No entanto, ele alegou que o Google “descaradamente e conscientemente” copiou sua tecnologia de áudio patenteada.

Os alto-falantes sem fio da Sonos antecederam os do Google em quase uma década e foram um grande sucesso de vendas. A empresa de áudio começou a trabalhar na implementação de vários assistentes inteligentes desenvolvidos por outras empresas por volta de 2016. A empresa lutou para incorporar o Google Assistente por anos e finalmente conseguiu que as tecnologias combinassem com sucesso no ano passado.

“Apesar de nossos esforços repetidos e extensos nos últimos anos, o Google não demonstrou vontade de trabalhar conosco em uma solução mutuamente benéfica”, disse Spence por e-mail. “Não temos escolha, a não ser litigar no interesse de proteger nossas invenções, nossos clientes e o espírito de inovação que definiu a Sonos desde o início”.

O New York Times foi o primeiro a noticiar os processos na terça-feira (7) à tarde.

Por medo de retaliação, a Sonos manteve em grande parte suas queixas em segredo, afirma a empresa. Spence e outros executivos da Sonos supostamente temiam que o Google colocasse seu produto no fim das páginas de resultados de pesquisa. O Times relata que, enquanto a Sonos trabalhava para implementar o Google Assistente em toda a sua linha de produtos para alto-falantes, o Google pressionou a Sonos — uma empresa com a qual competia diretamente — a revelar detalhes confidenciais sobre produtos não lançados.

Os alto-falantes inteligentes multi-room da Sonos também trabalham com a Alexa, da Amazon, e a Siri, da Apple. A empresa disse que também acredita que a Amazon — que tem os produtos da Sonos em seu marketplace — também roubou suas patentes de áudio. A empresa determinou, no entanto, que não poderia arriscar (nas palavras do Times) “combater dois gigantes da tecnologia no tribunal ao mesmo tempo”.

A Amazon disse ao Gizmodo que sua tecnologia de música multi-room — lançada no ano seguinte aos primeiros alto-falantes multi-room do Google, em 2017 — foi desenvolvida de forma independente por sua própria equipe.

“Nosso foco é criar a melhor experiência possível para nossos clientes e parceiros que desenvolvem com a Alexa. Na verdade, a Alexa está ajudando a gerar bilhões de dólares para a comunidade de desenvolvedores e fabricantes de dispositivos”, disse um porta-voz da Amazon.