Em junho deste ano, a Boston Dynamics disponibilizou mais de 150 unidades de seu cão robótico Spot para venda fora de ambientes controlados, permitindo que empresas comuns e instalações de pesquisa pudessem adquirir o aparelho. A ideia era ver para quais tipos de aplicativos do mundo real essas companhias usariam o equipamento, além de obter feedback sobre os recursos do próprio Spot. Cada unidade custou US$ 74,5 mil, o equivalente a R$ 416 mil.

Embora a Boston Dynamics não tenha lançado o cão-robô para consumidores individuais a fabricante já tem uma novidade preparada para o simpático (e um tanto assustador) robô. Segundo o Engadget, a partir do segundo trimestre de 2021, qualquer um que quiser tornar seu Spot um pouco mais versátil poderá acrescentar um novo braço ao corpo robótico do dispositivo.

É verdade que o cão-robô não parece um cachorro, de fato. Contudo, o braço adicional deve torná-lo mais próximo a um cão – pelo menos aquele tirado de histórias de ficção científica. O braço vai acoplado na base superior do robô e fica “pendurado” para a frente, com uma garra na ponta. “O braço é muito mais do que apenas hardware. Ele será equipado com uma interface de usuário intuitiva e será equipado para operar por meio de telemanipulação e comportamentos autônomos supervisionados”, explicou ao TechCrunch o CEO da Boston Dynamics, Rob Playter.

Com o acréscimo de um braço, o Spot pode abrir portas, trazer uma bebida e até diferenciar entre um copo sujo que vai para a lava-louças e uma lata de refrigerante que vai para a lixeira. No entanto, seus usos reais provavelmente serão muito mais complexos do que isso.

“Acredito que a mobilidade do robô contribuirá para sua destreza de maneiras que simplesmente não conseguimos com a automação atual vista nas fábricas”, disse o fundador da Boston Dynamics, Marc Raibert, na conferência Collision from Home em junho passado.

Além disso, o cão-robô está recebendo uma base de carregamento para onde voltará automaticamente quando sentir que a bateria está ficando fraca.

Atualmente, o Spot está sendo usado em vários setores, incluindo construção, mineração e saúde, para tornar as coisas mais seguras para os funcionários que trabalham nessas áreas. Ainda estamos a muitos anos de poder sair e comprar uma versão do Spot para nossa casa e, mesmo assim, aposto que ainda será uma tecnologia bastante cara. Mas confesso que a ideia de ter um robô para ajudar na limpeza ou em outras tarefas rotineiras é bem legal.

De qualquer maneira, muito provavelmente estamos indo nessa direção. Primeiro veio a máquina de lavar louça para limpar nossos pratos; em seguida, virá um robô que carregará a louça para você. Mas, por enquanto, colocar o Spot em ambientes de trabalho que podem se beneficiar dele parece o caminho certo a seguir.