Recentemente vimos dois celulares dobráveis que nos impressionaram: o Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X. São apenas os primeiros. A TCL, por sua vez, pegou o caminho mais longo e exibiu o seu conceito para celular dobrável durante o MWC 2019.

A companhia foi cuidadosa ao dizer que esses dispositivos são apenas protótipos e que não pretende levá-los ao mercado até o meio de 2020. A TCL afirma que há duas grandes razões para isso: embora tenham a tecnologia, eles querem amadurecer a ideia até que isso chegue ao público geral; além disso, os preços ainda giram em torno de US$ 2.000 a US$ 2.700, o que significa que ainda são muito caros para que a maioria das pessoas considerem comprar.

Tela flexível da TCLPense em todas as possibilidades. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Mas a TCL está na jogada. No Mobile World Congress 2019, a empresa está demonstrando o que chama de DragonHinge. A dobradiça parece ser bem parecida com aquela que a Royole usou em seu FlexPai e possui um conjunto de juntas com nervuras e intertravamento para dobrar o display para fora.

Neste momento, a tela flexível de 7,2 polegadas da TCL oferece uma resolução de 2048 x 1536 pixels, mas isso, como muitas outras especificações, pode mudar no momento em que a TCL estiver pronta para vender o aparelho.

Agora, repare que há um grande vão quando o aparelho está dobrado. Ele parece ser bem maior pessoalmente do que por fotos, inclusive. Mas a TCL sabe disso e, novamente, essa é uma das razões pela qual a companhia diz estar esperando. Eles querem vender algo pronto, e não feito pela metade.

Eu curti o potencial que vi nesse aparelho dobrável, que é basicamente uma versão atualizada dos celulares flip de antigamente. Com um pouco de refinamento, não é difícil ver como algo desse tipo pode se tornar o Razr dobrável que apareceu em rumores há cerca de um mês.

De certa forma, é uma surpresa ver a TCL dando um vislumbre do que está por vir. A estratégia usual da empresa é se concentrar em melhorias incrementais em seus diversos dispositivos de entrada e intermediários.

Com base em alguns dos esboços conceituais da empresa, a TCL não está apenas pensando em celulares, mas em vários outros tipos de dispositivos, como vestíveis, tablets e qualquer outra coisa que possa se beneficiar de uma tela flexível.

A TCL já é classificada como uma das maiores fabricantes de displays do mundo e isso mostra que eles tem a expertise necessária. Estou ansioso para saber como a companhia avançará em sua tecnologia nos próximos 18 meses.