Você se lembra do Minuum? Este app prometia transformar a forma como digitamos no celular e tablet. Ora, é antiquado usar a metáfora da máquina de escrever, como fazemos hoje. Por que não reduzir o tamanho do teclado e contar com a correção automática? Por isso, o Minuum “achata” as teclas em uma só fileira.

Ele recebeu US$ 87 mil em financiamento pelo IndieGogo (o objetivo eram apenas US$ 10 mil). Depois de ficar em beta fechado para os que apoiaram o projeto, o Minuum já chegou ao Google Play (o prazo era no início de 2014!). E como ele se sai? Nada mal, mas – como ainda está em beta – ele ainda tem como evoluir.

Quer aprender, descobrir e conhecer mais sobre desenvolvimento de apps e jogos? Então sugerimos que você visite o site do Short Stories Live, o primeiro evento do Gizmodo e do Kotaku no Brasil, sobre o novo PIB digital. Leia mais: www.sslive.com.br

O Minuum exibe todas as teclas em uma só linha. Isso economiza espaço na tela. Basta tocar próximo às letras que você quer digitar, e um “algoritmo especializado de autocorreção” sugere a palavra correta. Ele também prevê a palavra que você digitará a seguir.

Também há gestos para certos comandos. Para inserir espaço, deslize o dedo para a direita. Para apagar uma palavra, deslize para a esquerda. Para acessar o teclado numérico, deslize para baixo.

MinuumSideBySide

Na época, ficamos um pouco céticos: a correção automática nunca é infalível; e alguns termos (como URLs) precisam ser digitados letra por letra, algo difícil de se fazer em um teclado “espremido” como o Minuum.

Mas a startup de design Whirlscape, criadora do app, conseguiu abordar esses obstáculos. Quer digitar algo mais preciso? Toque e segure a tecla, e você poderá escolher as letras individualmente. Precisa digitar uma URL ou senha? Toque com dois dedos para ativar o design QWERTY tradicional de teclado.

No entanto, isso não é exatamente prático. Como ele não reconhece campos de senha ou URLs, é tedioso ativar o teclado QWERTY ou “catar milho” segurando em cada tecla para digitar. Com o Minuum, você recupera quase todo o espaço da touchscreen que você perderia com um teclado normal – mas isso tem um custo.

Mesmo que o teclado ainda esteja em beta, ele custa cerca de R$ 9 (US$ 4), e por enquanto só tem suporte a inglês (outros idiomas virão “em breve”). No entanto, parece que os usuários adoram: dos 9.500 usuários que se inscreveram no beta fechado, cerca de 8.000 continuam a usá-lo.

Por enquanto, o Minuum ainda não vale a pena para nós, brasileiros – a menos que você digite sempre em inglês! – mas é bom ver que alguém está reinventando os teclados para aproveitarem de verdade o que certos recursos (como a autocorreção) podem oferecer. [Minuum]

MinuumHolding