A United Airlines fez algo muito triste e lamentável nesta semana quando seus comissários insistiram que um passageiro colocasse seu cão, um bulldogue francês, no compartimento superior durante um voo de Houston a Nova York, o que resultou na morte do animal, provavelmente por sufocamento. Na segunda história da semana que traz novas dúvidas quanto a qualificação da companhia para lidar com o transporte de animais, parece que a United acidentalmente transportou o cão errado para o Japão em vez do destino original, no estado do Kansas, EUA.

Felizmente, este cão não morreu.

• Cachorro morre depois de United Airlines forçar passageira a colocá-lo no compartimento superior
Um cachorro consegue entender cães e humanos de outro país?

De acordo com a CNN, a United Airlines supostamente trocou o cão de Kara Swindle, um pastor alemão de 10 anos, com um dogue alemão que deveria viajar para o Japão. Swindle não descobriu o erro até o momento em que chegou ao depósito de cargas na cidade de Kansas na terça (13), onde recebeu o outro cão em vez de Irgo, seu pastor alemão. De acordo com a rede, isso fez Swindle entrar em pânico:

“Eles não faziam ideia de onde estava o cão”, disse Swindle. “Comecei a chorar instantaneamente pois toda essa história foi um grande problema”. Eles não sabiam (onde Irgo estava) até as 2h30 da manhã de quarta-feira quando o avião chegou no Japão”.

Swindle diz que Irgo – que voava pela primeira vez – não recebeu água ou comida nas 16 horas do voo até o Japão. Irgo está com uma infecção de ouvido e não recebe sua medicação há três dias, ela disse.

A família Swindle disse à rede que a United está transportando Irgo de Narita, no Japão, até Denver na primeira classe ao lado de um acompanhante humano e o entregará em Wichita. Em um comunicado enviado à CNN, a companhia aérea diz estar investigando a confusão:

Um erro ocorreu durante as conexões dos dois animais em Denver e eles acabaram enviados aos destinos errados. Nós notificamos nossos consumidores que seus animais pousaram com segurança e organizaremos o seu retorno o mais breve possível. Pedimos desculpas por este erro e estamos em contato com o local onde eles passaram a noite para entender o que aconteceu.

Mas é claro, qualquer investigação não corrigirá os danos causados pelos dois incidentes à imagem da companhia, cujo novo problema acontece menos de um ano depois da empresa estampar os noticiários por agredir e arrastar um passageiro que se recusou a sair do seu assento depois que o avião ficou superlotado. De acordo com CNBC, a United possui a maior taxa de fatalidades animais entre as companhias aéreas nos EUA, com 18 mortes só em 2017 (incluindo um coelho gigante), mas um porta-voz da companhia insiste em dizer que muitas destas mortes não tiveram relação com a condição do voo.

Um membro do congresso americano, o senador John Kennedy, prometeu aprovar uma legislação que puniria qualquer incidente futuro em que cães ou outros animais fossem empurrados nos compartimentos superiores com “multas significantes”.

A United, como anteriormente notou o editor sênior do Gizmodo Adam Clark Estes, tem um longo e antigo histórico de faltar ao respeito com seus passageiros, como um escândalo por troca de favores, e até mesmo desviar um voo da rota para expulsar uma criança autista. Algumas pesquisas mostram que a United possui um dos piores serviços de atendimento ao consumidor, conforme aponta a Bloomberg, e ela também tem algumas das piores métricas no ramo das aéreas.

[CNN]