Em abril de 2017, um patrulheiro do estado americano do Arizona usou uma arma de fogo para detonar explosivos durante um “chá de revelação”. Ele acabou provocando um incêndio que se espalhou por 190 quilômetros quadrados e causou US$ 8.2 milhões em danos. Dennis Dickey, o patrulheiro, se declarou culpado no início deste ano e recebeu uma sentença de cinco anos de liberdade condicional e uma ordem para pagar US$ 220.000 em restituição. Agora, graças ao jornal local Arizona Daily Star, temos imagens do momento exato em que ele percebeu que sua ideia tinha dado muito errado.

• Briga política entre estranhos no Facebook acaba em tiro na bunda na Flórida
• Um incêndio na Irlanda revelou uma mensagem da Segunda Guerra Mundial

No clipe, o agente Dickey atira em um alvo identificado como “boy or girl” (“menino ou menina”) e carregado com um explosivo binário da marca Tannerite. A grama ao redor começa a pegar fogo logo depois da explosão de poeira azul.

Indivíduos não identificados podem ser vistos se aproximando do fogo antes que uma voz masculina seja ouvida, dizendo claramente a todos para saírem de lá:

O vídeo de 49 segundos, gravado em 23 de abril de 2017, mostra o início do incêndio em um gramado amarelo próximo a árvores de algaroba. O alvo de explosivos estava em terras de propriedade do estado próximas da Montanha Santa Rita. Perto do fim do vídeo, dá para ouvir uma voz masculina dizendo “peguem suas coisas!” duas vezes.

O Arizona Daily Star obteve o vídeo do Serviço Florestal dos EUA através da Lei de Liberdade de Informação (FOIA, na sigla em inglês). O serviço, que liderou a investigação sobre a origem do incêndio, censurou as pessoas mostradas no vídeo. Em uma carta à equipe de reportagem do Star, Tracy Perry, chefe do Serviço Florestal, citou duas exceções à FOIA que permitem a retenção de informações para proteger a privacidade das pessoas. Perry é o Diretor de Legislação e Investigações do serviço.

Segundo uma reportagem anterior do jornal, Dickey disse ter prontamente reportado o incêndio às autoridades e admitido que ele havia sido o responsável pelo fogo, dizendo que foi um “completo acidente”. Ele acrescentou: “Eu me sinto absolutamente horrível sobre isso. Foi provavelmente um dos piores dias da minha vida.”

O incêndio ficou conhecido como de “Sawmill Fire” e precisou de quase 800 bombeiros para ser contido.

Tannerite é uma substância composta principalmente de pó de alumínio, que é misturado (após o transporte) com um oxidante (nitrato de amônio ou similar). Ele não explode se você derrubá-lo, e o fabricante afirma que ele foi projetado para ser não inflamável. No entanto, ele explode se você atirar nele com uma espingarda de alta velocidade, o que o torna praticamente feito sob medida para os proprietários de armas sem muita noção.

Na maioria das vezes, as pessoas atiram em alvos de Tannerite menores, que pesam 200 gramas, o que resulta em uma explosão controlada, mas notável. Só que Dickey não usou um alvo tão pequeno. Um kit com um quilo de Tannerite e quase sete quilos de pó colorido sai por cerca de US$ 97 (mais frete) em lojas online. Para quem é mais empolgado, dá para comprar dois kits e usar dois quilos do explosivo. Aqui está um vídeo de “chá de revelação”, tirado de um canal no YouTube chamado PilotPatriot, usando dois quilos do explosivo, que parece ser de tamanho similar ao do Dickey (é difícil estimar usando apenas as imagens, mas esse vídeo de uma explosão de Tannerite de um quilo definitivamente parece ser um pouco menor).

O vídeo do “chá de revelação” que deu errado de Dickey, incrivelmente, não é a última oportunidade que você terá para vê-lo diante das câmeras. De acordo com o Washington Post, a procuradoria dos EUA disse que seu acordo com o patrulheiro inclui “aparecer em um anúncio de utilidade pública criado em parceria com o Serviço Florestal dos EUA”.

Jack Crosbie da Splinter contribuiu com reportagem adicional (e insights sobre o uso de armas de fogo e Tannerite para explodir coisas) para este artigo.