A situação da operadora Oi não está boa, pois está em recuperação judicial já há um tempo, e sempre teve rumores de que as concorrentes gostariam de comprar ativos da companhia. Na noite desta terça-feira (10), a Telefônica Brasil S.A.,a dona da Vivo, divulgou fato relevante informando a intenção de juntar-se à TIM para comprar a Oi.

Importante ressaltar que neste documento compartilhado com a imprensa, é destacado apenas o interesse de adquirir as operações móveis da operadora – portanto nada de serviços de TV paga e linhas fixas.

O documento fala que houve uma manifestação formal ao Bank of America Merrill Lynch, assessor financeiro da Oi, sobre o interesse de Vivo e TIM de uma “potencial aquisição do negócio móvel do Grupo Oi”.

“A transação, se concretizada, criará valor para nossos acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço. Além disso, contribuirá para o desenvolvimento e competitividade do setor de telecomunicações brasileiro”, informa a Vivo em comunicado.

A Oi, em comunicado, diz que tudo isso não passa de um passo inicial para o processo. “Até o momento, não há qualquer compromisso da Oi ou de quaisquer destes terceiros para a efetivação de tal alienação, nem tampouco foi celebrado qualquer instrumento vinculante a respeito”, diz a companhia.

O pessoal do Teleiime aponta que este anúncio de interesse da Vivo e da TIM vem em um momento em que o real tem grande desvalorização e que as controladoras estrangeiras das duas empresas teriam vantagem, dado que as companhias têm origem na Espanha e na Itália, onde a moeda é o euro.

A novela da Oi é antiga, pois me lembro de noticiar em 2016 a história sobre a recuperação judicial da companhia. Estamos em 2020 e a situação ainda não foi resolvida. Do lado do consumidor, sempre é péssimo ter o número de opções reduzidas, mas aparentemente a aquisição por concorrentes deve ser o destino da operadora.

Atualmente, pelo menos no mercado móvel, a líder é a Vivo com uma fatia de 33% do mercado, seguido de Claro (27%), que soma os ativos da Nextel, e TIM com cerca de 24%. A Oi é a quarta colocada com um market share de 16%.

[Teletime 1 e 2]

Atualização: uma versão anterior deste texto se referia ao MobileTime quando, na verdade, o site citado era o Teletime. A informação já foi corrigida.