O Waze tem um propósito bem interessante, pelo menos no discurso: acabar com o trânsito, seja ajudando a encontrar a melhor rota para desviar de congestionamentos, seja ajudando a organizar caronas por meio do recurso de Carpool, tudo isso com a ajuda de sua comunidade. Esses foram os focos do Waze On, evento virtual global da empresa realizado nessa terça (15).

Os executivos apresentaram novos recursos do app para tentar facilitar a vida de quem dirige e melhorias no sistema de caronas para tentar alcançar mais usuários — e, quem sabe, tirar uns carros da rua assim.

Para ajudar a evitar o trânsito, o Waze quer que você comece a usar o app antes mesmo de abrir o app. Como? Por meio de notificações que preveem quanto tempo você vai levar até o seu destino — seja seu deslocamento diário até o trabalho, seja um compromisso na sua agenda.

As notificações também avisam se você tem que sair mais cedo ou até mais tarde do que o programado — eles prometem que o Waze consegue até dizer se é melhor esperar uns minutinhos para evitar algum congestionamento no meio do caminho e aguardar que ele diminua.

Recentemente, vale dizer, o Waze também ganhou a opção de planejar viagens no navegador para desktop e enviá-las para o celular, o que parece ser uma forma de facilitar esse pensamento antecipado.

O app também ganhou instruções sobre em qual pista ficar, para evitar erros na hora de pegar saídas e retornos, e melhorias nas estimativas de horário de chegada. Esse recurso já estava disponível há um bom tempo no Google Maps — o Google é dono do Waze, vale lembrar — e vinha sendo testado desde abril no Waze.

Por falar em Google, os comandos do Waze no Google Assistente, antes disponíveis apenas em inglês, estarão disponíveis também em português, espanhol e francês ao longo das próximas semanas. Assim, o app espera facilitar avisos de trânsito ou problemas na via, já que basta falar, sem precisar mexer na tela — uma forma de engajar mais gente a contribuir com as informações agregadas.

O Waze também deu um jeitinho de se adaptar à realidade da pandemia. Sabendo que muitos restaurantes estão fechados para refeições no local, o app colocou uma busca rápida por estabelecimentos com drive-thru para facilitar a vida de quem precisa comer — e de quem precisa vender também.

Carpool fica mais flexível

O Carpool, serviço de caronas do Waze, também ganhou mais jogo de cintura para servir melhor tanto para motoristas quanto para passageiros. Parece que a intenção foi tirar tudo que engessava e atrapalhava o uso do sistema. Afinal de contas, se não dá mais para driblar o trânsito, só mesmo tirando carros das ruas para tentar melhorar a situação.

Antes, as caronas tinham preço fixo definido automaticamente pelo app. Agora, o motorista é quem define o preço da viagem; do lado do passageiro, ele pode filtrar o preço máximo que gostaria de pagar na hora de procurar carona.

O motorista também pode oferecer caronas para trajetos esporádicos ou únicos — antes, só era possível oferecer para o trajeto cotidiano entre a casa e o trabalho e vice-versa. O passageiro pode, então, procurar por motoristas que vão fazer deslocamentos próximos ao que ele deseja para pegar uma carona.

Para facilitar tudo isso, o Waze também criou um sistema de aprovação automática e reserva instantânea. Assim, é só clicar e pronto, motorista e passageiro não precisam mais nem trocar mensagens para combinar — o app faz tudo.

Além disso, será possível pegar caronas do Waze Carpool usando o Moovit, um dos aplicativos de transporte público que é bem famoso. O Moovit também tinha seu sistema de caronas próprio, mas ele se integrou ao Waze.

Talvez nada disso adiante — afinal, como o próprio Waze admite, mesmo com 2 bilhões de usuários em todo o mundo, uma comunidade muito disposta a contribuir e parcerias com o poder público, o trânsito continua piorando. De qualquer forma, vale a tentativa, mesmo que ela não chegue ao destino.