O Windows 11 está a caminho e trará com ele um novo visual, novas cores e recursos quando estiver disponível no final do ano. Já temos até um guia de como instalar o sistema no seu computador, caso você seja integrante do programa Windows Insider, além de algumas especificações técnicas recomendadas para rodar a plataforma.

Mas nem tudo que hoje está presente no Windows 10 sobreviverá para contar história. Isso porque a Microsoft pretende esconder ou descontinuar muitos programas e funcionalidades assim que o sucessor do Win10 for lançado. Ainda tem muito chão pela frente até que isso aconteça, mas listamos a seguir tudo o que já sabemos que deixará de ser prioridade no Windows 11.

Internet Explorer

Espere: o Internet Explorer já não tinha sido enterrado? Na verdade, ele ainda está disponível no Windows 10 se você se aprofundar o suficiente nas configurações do sistema. No entanto, todos os vestígios restantes do antigo navegador serão removidos no Windows 11, com o Microsoft Edge substituindo o browser definitivamente. Para aplicativos e sites que por alguma razão podem depender da ferramenta, será possível acessá-la usando o modo IE no Edge.

Linha do tempo

Captura de tela: Windows 10

Você pode nunca ter usado a linha do tempo, o que talvez seja uma das razões pelas quais ela está indo embora com a chegada do Windows 11. O recurso permite que você sincronize sua atividade — arquivos abertos, sites visitados, entre outras — em vários computadores Windows nos últimos 30 dias, tornando mais fácil alternar entre os aparelhos conectados com a mesma conta da Microsoft.

Live Tiles

Desenvolvedores de programas e aplicações parecem não ter gostado muito do recurso Live Tiles no menu Iniciar do Windows 10, que permite que diferentes fragmentos de informações sejam mostrados e atualizados em tempo real. Se isso te lembra os widgets do seu smartphone, então você está certo. E são eles que prometem substituir os Live Tiles com a chegada do Windows 11. Só esperamos que os widgets funcionem melhor.

Grupos do Menu Iniciar

Captura de tela: Windows 10

Outro recurso extraído do menu Iniciar é a possibilidade de agrupar blocos e nomeá-los como produtividade, escrita, jogos ou qualquer outra coisa. O layout do menu Iniciar também não será redimensionável, então parece que a Microsoft deseja fazer com que a experiência do menu seja a mesma para todos.

Status Rápido

No Windows 10, os aplicativos podem deixar pequenos blocos de informações na tela de bloqueio para lembrá-lo de e-mails recebidos, compromissos no calendário futuros, notificações e outras atividades. Essa função, chamada de Status Rápido, não estará disponível para programas no Windows 11 — talvez porque os widgets desempenhem esse mesmo recurso.

Localização da barra de tarefas

Captura de tela: Windows 10

Falando em cortar personalizações, a barra de tarefas passará a ficar fixa na parte inferior da tela no Windows 11. Você pode nunca ter percebido, mas na versão atual do sistema é possível posicioná-la à esquerda, direita ou até mesmo no topo da tela. Portanto, quem gosta desse tipo de customização estará sem sorte na futura plataforma.

Modo Tablet

O Windows 10 faz um trabalho decente em tablets, como o Surface Pro, além de desktops e notebooks. Contudo, o Windows 11 não inclui um modo dedicado para tablets. Em vez disso, essa funcionalidade será reconfigurada e parte disso acontecerá automaticamente (como quando você conecta ou desconecta um teclado Bluetooth, por exemplo).

Cortana

Captura de tela: Windows 10

A assistente digital da Microsoft não será descontinuada inteiramente do Windows 11, mas deixará de ser usada no processo de configuração inicial e não ficará mais presa à barra de tarefas. Não está claro o que a Microsoft planejou para a Cortana. Mas com base nos recursos que foram adicionados ao longo do ano passado, ela poderá ser reposicionada como uma ferramenta de negócios, e não como uma central (principalmente de voz) para tudo o que o usuário for fazer no computador.

Assine a newsletter do Gizmodo

Modo Windows S

Este é outro recurso que não está desaparecendo completamente, mas sim perderá um pouco deve destaque: o Modo S, que só permite que aplicativos da Microsoft Store oficial sejam instalados para melhorar o desempenho e a segurança da máquina. A partir do Windows 11, ele será opcional.

Skype

O Skype ainda estará disponível no Windows 11, mas o novo sistema operacional não o incluirá como um programa integrado da mesma forma que o Windows 10 faz. Isso porque a Microsoft agora está focada no Teams como uma resposta para todas as suas necessidades de comunicação, incluindo vídeo. Logo, prepare-se para muitas integrações de Teams na experiência final do Windows 11.