O algoritmo de recomendação do YouTube não possui o melhor histórico. Ele já foi flagrado misturando vídeos impróprios com personagens populares de entretenimento infantil, sugerindo vídeos de crianças para pedófilos e até radicalizando os jovens em direção à política extremista. Diante desse cenário, a plataforma de vídeo anunciou que vai começar a dar aos usuários maior controle sobre o conteúdo que aparece em sua página inicial e os vídeos da categoria Próximo.


GIF: YouTube

Na terça-feira (25), o YouTube anunciou três alterações que planeja implementar nos próximos dias. Em primeiro lugar, os usuários poderão explorar tópicos e vídeos relacionados na página inicial e quando navegarem nos próximos vídeos. Então, se você gosta de ASMR (sons relaxantes e repetitivos que causam uma sensação de prazer), você encontrará uma sugestão de tópico para vídeos ASMR. Se você é um aspirante a padeiro, você pode encontrar um tópico de “panificação”. Se você é um nazista, bem, teremos que esperar para ver o que acontece. O YouTube diz que as opções são baseadas em sugestões personalizadas existentes, mas também podem estar relacionadas a um vídeo que você está assistindo no momento ou a vídeos semelhantes publicados por esse canal.

A segunda alteração é a possibilidade de remover sugestões de canais que você não tem interesse em assistir clicando no menu com símbolo de reticências e selecionando “Não recomendar canal“. A mais interessante é a terceira alteração. Os vídeos sugeridos agora apresentam uma pequena caixa abaixo deles, explicando por que este vídeo, em particular, está sendo sugerido para você.

Todas essas mudanças são bem-vindas, apesar de tardias. O algoritmo do YouTube tem sido acusado por seu papel não tão importante na radicalização de jovens, colocando-os na toca de coelho do extremismo. Por exemplo, se uma criança assiste a um vídeo inocente do canal Let’s Play, a plataforma pode então recomendar um influenciador extremista, porque outras pessoas que assistiram a streams de jogos clicaram nele.

Em um exemplo particularmente perturbador, o algoritmo do YouTube encorajou pedófilos a assistir vídeos de crianças e tem sido revelado que os pedófilos foram utilizando a seção de comentários do YouTube para organizar as suas atividades. Esses problemas óbvios continuam, assim como o conteúdo mais inescrutável e perturbado que o YouTube regularmente oferece às crianças. Pelo menos, dando aos usuários mais controle e aumentando seu nível de transparência sobre como o sistema funciona, o YouTube passa a considerar o que você ou outras pessoas usando sua conta querem ver.

Dito isso, o lançamento desses recursos será gradual e um tanto esporádico. Os tópicos de exploração estarão disponíveis apenas para usuários conectados em inglês no aplicativo do YouTube para Android. O recurso de remoção de canal, no entanto, está disponível globalmente no Android e no iOS desde quarta-feira (26). Enquanto isso, apenas os usuários do iOS poderão descobrir por que os vídeos estão sendo sugeridos para eles desde ontem. O YouTube diz que todos os recursos chegarão a todas as plataformas – iOS, Android e desktop – em breve, mas não informaram uma data exata.

Em última análise, este é um pequeno passo na direção certa, embora demore um pouco para vermos se isso tem algum impacto na solução do problema de radicalização do YouTube. Mas vendo pelo lado positivo, pelo menos agora você não será assombrado por vídeos extremistas se você assistir a um apenas por curiosidade mórbida.