O YouTube Premium é uma opção bem sólida se você não deseja pular inúmeras publicidades antes de assistir seus vídeos. Mas como todo serviço de streaming, essa brincadeira não sai barata: US$ 12 nos EUA, ou R$ 20,90 no Brasil por mês. Agora, tudo indica que o Google lançará uma versão paga da plataforma com preço mais camarada em breve.

A informação foi notada primeiro por um usuário no fórum ResetEra e, posteriormente, confirmada pelo YouTube ao site The Verge. Batizada de YouTube Premium Lite, a nova versão está sendo testada em alguns países europeus, incluindo Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Luxemburgo, Holanda, Noruega e Suécia. Por lá, o preço corresponde à metade do modelo mais básico do YouTube Premium atual — ou seja, US$ 6,99.

Inclusive, já tem até uma página dedicada ao YouTube Premium Lite na internet, desde que você use alguma ferramenta ou aplicativo VPN para conseguir acessá-la nesses países onde o serviço está em fase de testes. Ao abrir o endereço fora desses locais, aparece uma mensagem de que a plataforma ainda não está disponível.

Captura de tela: Florence Ion/Gizmodo

E o que tem de diferente?

O YouTube Premium Lite é inteiramente focado na remoção de anúncios, e apenas isso. Logo, todas as outras funções permanecem na modalidade em preço cheio. Entre os recursos que ficam de fora está acesso ilimitado ao YouTube Music, download de vídeos para serem assistidos offline e reprodução em segundo plano nos dispositivos móveis. Ou seja, a proposta da versão Lite é para o público que só deseja retirar comerciais antes dos vídeos.

Ainda assim, o Premium Lite manterá o fim das propagandas em todas as plataformas em que o aplicativo do YouTube é compatível — desktop, iOS, Android, Smart TVs e consoles de jogos. A publicidade também é removida de vídeos no YouTube Kids, desde que os pais se lembrem de incluir seus filhos como membros da família nas configurações do Google.

Assine a newsletter do Gizmodo

Não se sabe se o YouTube Premium Lite chegará em outros países. Mas como vários locais da Europa receberam a nova modalidade (mesmo em caráter de testes), é provável que o Google esteja se preparando para um lançamento global. Levando em consideração que nos países europeus o valor da mensalidade cai para a metade, não seria um má negócio pagar menos de R$ 11 no Brasil apenas para não ter que me deparar com anúncios no YouTube.