O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, tomou a decisão inesperada de transmitir publicamente a sessão semanal de perguntas e respostas da empresa com seus funcionários na quinta-feira (3), depois que as gravações de áudio de reuniões semelhantes em julho vazaram e foram publicadas no início desta semana.

Cerca de 30.000 usuários assistiam à transmissão enquanto Zuckerberg se referia a esse vazamento como “bastante decepcionante” em seus comentários de abertura. Nas gravações publicadas pelo The Verge, ele fala sobre a intenção do Facebook de combater os reguladores antitruste e a candidata presidencial Elizabeth Warren, caso ela ganhe e cumpra sua promessa de dividir grandes empresas de tecnologia, declarações essas que Zuckerberg confirmou manter na quinta-feira.

“Talvez eu tenha dito isso de uma maneira um pouco menos filtrada do que eu faria externamente, mas fundamentalmente…acreditamos em tudo o que dissemos que estava lá”, disse ele.

Portanto, é claro, uma das primeiras perguntas dos funcionários foi sobre como o Facebook permaneceria imparcial em relação à candidata durante as próximas eleições de 2020, dados os comentários anteriores de Zuckerberg, aos quais o CEO do Facebook brincou: “Vamos tentar não antagonizá-la ainda mais”.

Com toda a seriedade, acrescentou, seus comentários foram sobre propostas de políticas específicas, não a candidatura dela ou a próxima eleição como um todo, com a qual a empresa mantém seu compromisso com a transparência e a neutralidade em sua plataforma. “Mesmo quando as pessoas discordam do que acho que deveria acontecer no mundo, ainda quero dar voz a elas”, disse Zuckerberg.

Infelizmente, a decisão do Facebook de transmitir ao vivo as perguntas e respostas mostrou-se muito mais interessante do que o evento em si, que teve a típica auto celebração que você esperaria de uma reunião interna de qualquer empresa. Uma pequena surpresa ocorreu quando o CEO do Facebook, um multibilionário, foi convidado a comentar o recente tuíte do senador Bernie Sanders de que “Bilionários não deveriam existir”, uma pergunta que ganhou uma salva de palmas da audiência. Embora Zuckerberg não tenha mencionado nenhuma política ou solução em potencial, ele simpatizou com o senador.

“Eu entendo seu ponto de vista. Não sei se tenho um limite exato de quanto dinheiro alguém deveria ter, mas em algum nível ninguém merece ter tanto dinheiro”.

Entre outros tópicos, Zuckerberg abordou o lançamento do aplicativo Threads, supostamente direcionado para adolescentes, como o Facebook Dating tem se apresentado até agora – “muito bem”, embora ele não tenha entrado em estatísticas específicas – e como, na luta contínua da empresa contra a desinformação online, está priorizando o combate às fraudes óbvias de se tornarem virais.

Ele também comentou uma decisão do Tribunal de Justiça Europeu no início da quinta-feira, chamando-a de “um precedente preocupante a ser estabelecido”. Como parte dessa decisão, a União Europeia pode ordenar que o Facebook exclua um conteúdo globalmente se for considerado ilegal na Europa.

“Isso vai ser algo que eu imagino que nós e outros serviços estaremos litigando e basicamente tentando esclarecer o que isso significa por um longo período de tempo”, disse Zuckerberg na quinta-feira.

Em relação à empresa continuar transmitindo essas reuniões, Zuckerberg não fez promessas. Em vez disso, ele descreveu a transmissão ao vivo desta semana como uma espécie de teste, acrescentando: “O que temos a perder, já que sou tão ruim em dar entrevistas?”