Uma cola cirúrgica inovadora desenvolvida por pesquisadores dos Estados Unidos e da Austrália fecha feridas rapidamente e sem a necessidade de grampos ou pontos. A substância esguichável poderia um dia ser usada em cirurgias e em situações de emergência, embora ainda precise ser testada em humanos.

• O futuro dos produtos farmacêuticos são remédios customizados feitos por impressão 3D
• Robôs feitos de DNA podem um dia transportar remédios dentro do seu corpo

O nome da tecnologia é MeTro, e ela foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Sydney, da Escola de Medicina de Harvard e da Universidade Northeastern. Suas propriedades elásticas a tornam ideal para o tratamento de feridas que são “convocadas” para expandir e contrair, e em situações em que as feridas estão sob risco de abrir novamente. Os pesquisadores que desenvolveram o composto dizem que ele poderia ser usado para tratar tanto tecidos internos quanto externos, incluindo pele, coração, pulmões e artérias.

Em testes, a MeTro foi usada com sucesso para fechar incisões nas artérias e pulmões de roedores e nos pulmões de porcos. Em todos os casos, a substância funcionou sem a necessidade de suturas ou grampos. Os detalhes do trabalho foram publicados na Science Translational Medicine.

Para desenvolver o composto injetável, proteínas elásticas naturais, inspiradas pela proteína humana tropoelastina, foram misturadas com um material selante sensível à luz. Depois de aplicá-lo ao ferimento, uma corrente contínua de luz ultravioleta prepara o material em cerca de um minuto. A MeTro é também equipada com uma enzima degradante embutida, que pode ser ajustada para determinar quanto tempo o selante dura, algo que pode ir desde algumas horas até meses, dependendo da natureza da lesão. Os pesquisadores a compararam com selantes de silicone, que são normalmente usados em azulejos de banheiros e cozinhas.

“Quando você observa a MeTro, você pode vê-la agindo como um líquido, preenchendo as lacunas e se adaptando ao formato do ferimento”, explicou Anthony Weiss, coautor do estudo, em um comunicado. “Ela responde bem biologicamente e interage intimamente com o tecido humano para promover a cicatrização. O gel é facilmente armazenado e pode ser esguichado diretamente em uma ferida ou cavidade.”

Em termos de aplicação no mundo real, a MeTro poderia ser usada em cirurgias, zonas de guerra ou durante emergências. O próximo passo no processo de desenvolvimento do método é testá-lo em humanos para garantir sua segurança e eficácia.

[Science Translational Medicine]

Imagem do topo: Universidade de Sydney