Áreas em vermelho indicam a localização das pirâmides na Bacia Amazônica boliviana - Revista Nature

Um artigo publicado nesta última quarta-feira (25) na revista Nature revelou que uma equipe de pesquisadores internacionais – entre eles alemães e britânicos- descobriram uma rede de cidades antigas na Amazônia boliviana.

A descoberta só foi possível pois os cientistas utilizaram uma tecnologia chamada Lidar (sigla em inglês detecção de luz e varredura). Uma tecnologia que mede a propriedade da luz refletida de uma forma que obtém informações de objetos distantes.

As cidades foram feitas pelos indígenas Casarabe entre 500-1400 D.C que construíram centros urbanos, redes de reservatórios e calçadas. As construções abrangem vários hectares ,nos quais os Casarabe construíram estruturas cívico cerimoniais em forma de U, montículos de plataforma e pirâmides cônicas de 21 metros de altura.

Na mesma época em que as cidades estavam sendo construídas, os indígenas Llanis de Mojos transformaram savanas inundadas em paisagens agrícolas produtivas. Segundo o estudo, os povos indígenas criaram paisagens urbanas em conjuntos. Isso mostra que havia estratégias de subsistência sustentável e também um patrimônio cultural- ecológico ate então desconhecido.