Se você está no Twitter, provavelmente deu de cara com a história assustadora deste usuário, que narrou os apuros que passou após ter tido seu celular furtado pela janela de um carro de aplicativo.

Os criminosos fizeram compras e empréstimos bancários que chegaram a ultrapassar os R$ 100.000. Se você acompanhou a thread, deve saber que a história teve final feliz, e que Bruno conseguiu respaldo das instituições bancárias para cancelar empréstimos e se ressarcido.

 

O relato desesperador, porém, acendeu o sinal de alerta nos usuários, que começaram a compartilhar algumas dicas de como evitar que algo semelhante aconteça. Algumas delas são realmente úteis. Nós separamos as principais.

Utilização de senhas fortes no celular

A primeira recomendação é a utilização de senhas fortes, ou seja, que não sejam sequências numéricas crescentes e nem decrescentes. Evitar a repetição de números, evitar colocar datas de aniversário e certificar-se de configurar o smartphone para bloquear-se imediatamente após desligar a tela ou no menor tempo de inatividade possível.

Verificação de duas etapas

O recurso de verificação por duas etapas ainda é muito ignorado pelos usuários. O processo não é complexo de fazer, e vale a pena gastar um tempinho para ativá-lo em todos os aplicativos que disponibilizem essa opção. É possível encontrar a verificação de duas etapas em aplicativos de redes sociais e também em alguns apps de banco. Com ela, você redobra a proteção adicionando uma “senha extra” antes de liberar acessos.

E-mail e telefone secundários para recuperação de senha

Outra prática importante é utilizar um e-mail para recuperação de senha que não esteja logado no celular. Caso o endereço de redefinição de senha esteja logado no aparelho, criminosos podem facilmente alterar as credenciais de acesso de apps e sites “menos seguros”. O mesmo vale para números de telefone, se possível escolha um número de uma pessoa de confiança, amigo ou familiar para recuperar a senha.

Cartões virtuais temporários

Aplicativos de banco permitem a criação de cartões de crédito temporários para realização de transações bancárias via internet. Sempre que possível crie cartões temporários porque eles desaparecem e não podem ser usados depois de certo tempo. Assim você não corre o risco de “esquecer” o cartão virtual e deixá-lo ativo sem utilizá-lo.

Assine a newsletter do Gizmodo

Biometria

Prefira utilizar senhas ao invés de biometria para desbloquear aplicativos bancários. Embora a biometria seja um facilitador para acessar diversas coisas no dia a dia, ela está sendo facilmente burlada por criminosos que furtam celulares. Quanto mais segurança melhor. Sempre.