A segurança do seu computador não precisa ser um negócio difícil. Algumas das menores e mais simples medidas podem ser bastante eficazes para manter seus dispositivos seguros — elas não demoram muito, são fáceis de se fazer, e você não tem desculpa alguma para não colocá-las em prática.

Como saber se seu cônjuge instalou algum app para te espionar
Seis coisas que você faz e que arriscam a segurança dos seus gadgets

Não vamos abordar aqui os hábitos maiores de segurança que você deveria adotar, como usar senhas fortes, fazer back up dos seus dados e atualizar o sistema operacional regularmente. Vamos considerar que tudo isso já está sendo feito e trataremos de cinco dicas extras, específicas para o Windows, que você pode aplicar em questão de minutos.

1) Ligue o Windows Defender

Captura de tela: Gizmodo

Em um passado não muito distante, você precisava instalar um bom programa antivírus e configurá-lo antes que começasse a usar seu Windows para navegar na internet. Mas, hoje em dia, a vida é mais fácil — o Windows vem com a sua própria ferramenta competente de segurança, chamada Windows Defender.

Você pode instalar algum pacote de terceiros se quiser uma proteção extra, mas, no mínimo, você deveria se certificar de que o Windows Defender está ligado e configurado apropriadamente. Para a sorte daqueles de nós mais distraídos, o Windows dispara um aviso se nenhum software de antivírus estiver presente e o Windows Defender estiver desligado.

A partir das Configurações do Windows (ícone de engrenagem no Menu Iniciar), escolha Atualização e Segurança, Segurança do Windows e então Abrir a Central de Segurança do Windows Defender. Segundo a Microsoft, uma atualização ao recurso sandbox está a caminho e deve ajudar a manter aplicações perigosas ainda mais longe do seu sistema.

2) Faça uma inspeção no seu navegador

Captura de tela: Gizmodo

Seu navegador é a sua janela para o mundo e, sem dúvidas, o lugar em que você passa grande parte do seu tempo no computador. Manter seu navegador seguro significa, antes de mais nada, mantê-lo atualizado o tempo todo — e, ainda bem, isso é bem fácil de se fazer, com a maioria dos navegadores modernos trazendo atualizações automáticas para você nos bastidores.

É importante também ficar ligado nas extensões e plugins que você instala: esses programas extras potencialmente têm acesso a tudo que rola dentro do seu navegador. Então é melhor não manter nada indesejado, redundante ou suspeito ali. Faça um checkup rotineiro para garantir que você só tem extensões essenciais e confiáveis instaladas.

No Chrome, clique no ícone de três pontos verticais, selecione Mais ferramentas e, então, Extensões; no Firefox, a opção está sob Extensões, à direita do menu do navegador; no Microsoft Edge, você deve escolher Extensões no menu do navegador. Dá para desativar e desinstalar qualquer programa indesejável em apenas alguns cliques.

3) Cuidado com o que você baixa

Captura de tela: Gizmodo

Falando em navegadores, cuidado com o que você baixa e instala em seu computador. Na medida do possível, atenha-se a aplicativos conhecidos e populares, baixando-os diretamente de seu site oficial (ou da loja da Microsoft). Se você estiver instalando algo mais desconhecido, faça uma rápida busca online para checar as credenciais da aplicação na rede.

Preste atenção também enquanto estiver passando pelos wizards de instalação de programas — não clique “Próximo” o tempo todo sem ver aquilo com o que está concordando, ou você pode acabar instalando uns programas adicionais esquisitos que você não queria. É uma boa ideia também excluir programas que você já não esteja mais usando.

E quando o assunto é pirataria e outras mídias (como música e filmes), saiba que isso também te deixa vulnerável a malwares e vírus de fontes menos respeitáveis. Se for para você baixar coisas ilegalmente, faça isso o mínimo possível e esteja ciente de qualquer pacote de software que traga programas extras que tentam se instalar automaticamente.

4) Verifique as permissões de apps

Captura de tela: Gizmodo

E por falar em softwares baixados, o Windows agora lida com permissões de apps de maneira bem parecida com o seu smartphone, de forma que você possa ver exatamente o que cada programa pode fazer no seu sistema. Vale revisar essas permissões frequentemente, tanto pela segurança quanto pela privacidade.

Nas Configurações do Windows, clique em Privacidade: é possível ver as permissões gerais garantidas a aplicações e sites sob a aba Geral. Abaixo dela, as abas Fala, escrita à tinta e digitaçãoDiagnóstico e comentáriosHistórico de atividades permitem uma visão mais detalhada das permissões.

Obviamente, nada no seu sistema deve estar acessando a câmera e o microfone sem alguma boa razão (para permitir chamadas em vídeo, normalmente). Localização é outra permissão em que vale a pena ficar de olho. Para cada permissão, você pode desligar o acesso completamente para todos os apps ou então criar permissões app por app, usando os pequenos interruptores.

5) Coloque uma senha de usuário

Captura de tela: Gizmodo

Muitas pessoas usam métodos de login automático em seus aplicativos e navegadores, e, portanto, é muito importante que ninguém mais possa usar seu notebook e fingir ser você (seja por invadir seu escritório ou roubar seu computador de sua mochila). É aqui que entram as senhas de usuário.

É absolutamente necessário colocar uma senha em sua conta de usuário do Windows, mesmo que nenhuma outra pessoa use o computador (se você faz login com uma conta Microsoft, você não tem outra opção). Isso pode ser checado em Contas, nas Configurações do Windows.

Tão importante quanto isso é garantir que seu computador se bloqueie quando você o deixa (de forma que a senha seja necessária para entrar novamente): na tela Contas, escolha Opções de entrada e, no topo, onde está “Exigir entrada”, selecione a opção Quando o computador sai do modo de suspensão. É legal também configurar um período de suspensão curto em Configurações > SistemaEnergia e suspensão.

Imagem do topo: Getty Images/CSA-Printstock