Um novo estudo mostra que o Acordo de Paris não será suficiente para impedir o aumento do nível do mar — mesmo que os líderes mundiais realmente se dediquem à tarefa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences na segunda-feira (4), o estudo mostra que nossos esforços permitirão que a elevação do nível do mar atinja o limite de um metro até 2300 se todos seguirem as promessas estabelecidas no Acordo de Paris. Em outras palavras, mesmo nossos melhores esforços para evitar a crise climática não serão suficientes para proteger cidades costeiras e ilhas baixas.

E se continuarmos a não fazer nada, como parece ser o caso, o aumento do nível do mar será muito pior do que um único metro até 2300.

Nossos oceanos respondem muito mais lentamente à quantidade crescente de gases de efeito estufa em nossa atmosfera. Afinal, mantas de gelo e geleiras não derretem da noite para o dia. Isso pode levar de décadas a, potencialmente, milênios. As ações atuais dos países ditarão como será o mundo — literalmente — nos próximos séculos. E, como este estudo descobriu, cerca de 25% desse aumento potencial no nível do mar pode ser atribuído a cinco grandes emissores: China, EUA, União Europeia, Índia e Rússia.

A equipe internacional de cientistas por trás deste estudo usou um emulador do nível do mar que levou em consideração o derretimento das camadas de gelo da Groenlândia e da Antártica, geleiras, expansão térmica e armazenamento de água subterrânea, que inclui barragens. Esse modelo inclui dados de emissões que datam de 1750 para projetar adequadamente como será o mundo em 2300. Infelizmente, o que o estudo revelou é que devemos ser mais ambiciosos em nossos objetivos climáticos.

O Acordo de Paris visa manter a elevação da temperatura global neste século abaixo de 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais e, se possível, até 1,5 grau Celsius. Isso depende de promessas específicas de cada signatário. E o presidente Donald Trump anunciou que vai retirar os EUA do acordo. Segunda-feira marcou o dia em que o presidente pôde formalmente iniciar esse processo, e o New York Times relata que seu governo está fazendo exatamente isso.

Portanto, se os líderes mundiais nem cumprem as promessas estabelecidas neste acordo internacional, a situação será muito pior. Talvez Trump comece a se importar quando o aumento do nível do mar atingir seu amado resort Mar-a-Lago em Palm Beach, na Flórida.