Uma fabricante de smartphones lançando um relógio inteligente não é novidade. Na verdade, vimos isso acontecer cinco vezes ano passado – e isso contando apenas as que usam o Android Wear. A Alcatel Onetouch, mais conhecida pelos seus smartphones de baixo custo como o Idol (lançado no Brasil), é mais uma que se aventura no segmento dos gadgets vestíveis.

Com o Watch, seu recém-anunciado relógio inteligente de baixo custo, a Alcatel foca em três coisas: design, simplicidade e preço baixo. Em alguns desses critérios, o Watch ganha fácil. Em outras, bem… não.

Borda inferior do Watch.

Comecemos pelo design. A Alcatel claramente se inspirou em no mínimo alguns detalhes do bonito Moto 360, da Motorola, incluindo aquela irritante borda preta no rodapé do relógio. A pulseira padrão é de um material emborrachado rígido, embora a Alcatel prometeu lançar versões de metal no futuro. Em relação ao visual, minhas reclamações são mínimas. Ele é quase como o Moto 360, só carecendo do acabamento no design industrial quando ele é observado mais de perto. À distância, porém, alguém que conheça relógios inteligentes poderia ser facilmente enganado por ele.

A única escolha de design realmente infeliz é o fecho. Ele é desengonçado, não se ajusta com facilidade e é desnecessariamente confuso. A pulseira não é a única má notícia porque a Alcatel espremeu uma porta USB na ponta dela, de modo que basta pluga-la em um computador para recarregar o relógio – nada de cabos, pois. A Alcatel diz que o relógio pode ficar de dois a cinco dias com uma carga, dependendo do usuário, então com sorte você não terá que recarrega-lo tanto quanto outros gadgets do tipo por aí.

Botão do Watch

O que há entre a tela e a borda neste exato ponto?

Mas é na simplicidade do Watch que a Alcatel diverge de outros relógios. Seja o Pebble, Android Wear ou (em breve) Apple Watch, todos esses têm lojas de apps dedicadas e comunidades de desenvolvedores; o Watch não tem nada disso. Sim, você pode dizer que é algo negativo, e se você é um perito em relógios espertos, definitivamente é, mas o desejo da Alcatel é ter um relógio que apenas funcione sem fricção. Sendo esse o objetivo, eles definitivamente conseguiram. O Watch usa um app dedicado com versões para Android e iOS, e a partir dele dá para ajustar configurações, acompanhar suas atividades físicas e mexer em outras opções.

Fecho complicado do Watch

O relógio vem com 14 apps. Nada mais, nada menos. Aperte o botão do lado direito ou gire seu pulso para ativá-lo. Deslizar o dedo para a direita invoca um menu de apps; para baixo, mostra todas as suas notificações. Esses apps oferecem o essencial de um relógio inteligente – notificações, monitor de batimentos cardíacos, faces para o relógio etc. Não dá para dirigir sua BMW com ele ou qualquer coisa do tipo, mas se você quer apenas uma janela de notificações no seu pulso, basicamente o que todo relógio do tipo é, então o Watch cumpre sua função.

Mas é barato mesmo como a Alcatel faz parecer com suas declarações? Não muito. Por US$ 150, ele não fica tão longe de outros modelos mais avançados, como o G Watch da LG ou até o Asus ZenWatch.

Watch ligado no pulso

O Alcatel Watch não ganhará os aficionados por relógios inteligentes, e na medida em que outras empresas começarem a revelar a segunda geração dos seus, com mais bateria e ecossistemas melhor desenvolvidos, os da primeira geração serão um páreo duro para o Watch na briga pelo consumidor mais sensível a preços. Mas a Alcatel tem algo aqui e talvez valha a pena ficar de olho.