A Amazon fez grandes aquisições nos últimos anos. A rede de mercados de orgânicos Whole Foods custou US$ 14 bilhões. A plataforma de streaming de games Twitch e o e-commerce de calçados Zappos também não foram baratos.

Em seu próximo passo de consolidação corporativa, a empresa comandada pelo homem mais rico do planeta Terra teria gasto US$ 1 bilhão em uma empresa de campainhas inteligentes chamada Ring, o que seria um dos elementos que faltavam para a companhia avançar ainda mais com seu plano de deixar a entrega dentro da casa das pessoas.



Primeiro supermercado automatizado da Amazon começa a funcionar nos EUA
O novo Kindle Oasis é o melhor e-reader já feito, mas vale os R$ 1.149?

A principal solução da Ring consiste em um campainha instalada na porta de casa equipada com uma câmera HD. Com ela o morador, mesmo longe de casa, consegue conversar com um entregador e vê-lo. Por estar conectado à rede Wi-Fi da casa, o produto da Ring pode permitir que o dono da residência possa abrir uma fechadura inteligente remotamente.

A gigante do comércio eletrônico confirmou a aquisição para a agência Reuters, mas não comentou os termos do negócio — que muito provavelmente foram revelados pela agência por meio de fontes que não podiam se identificar.

O império de Jeff Bezos tem cobiçado campainhas — ou mais especificamente, câmeras instaladas em casas e processos para entrar numa residência sem necessidade de chaves — desde 2016, quando tentou comprar uma empresa de fechaduras inteligentes chamada August por US$ 100 milhões. Quando a companhia recusou, a Amazon anunciou um sistema de fechadura inteligente e câmera chamado Key que permite que entregadores possam colocar itens do Amazon Prime dentro da casa dos clientes.

Parece que o Key ainda não emplacou entre os norte-americanos, aliás os consumidores estão preocupados em deixar estranhos entrarem em suas casas. Então, por que a Amazon pagaria muito mais dinheiro pela Ring do que pela August no ano passado? Provavelmente, os consumidores não são a principal parte da história.

Conversas com entregadores da Amazon sugerem que as maiores ineficiências na entrega de pacotes ocorrem em empresas e complexos de apartamento. Se a Amazon conseguir convencer as pessoas a aderirem ao Key (ou Ring — vai saber se o produto vai mudar de nome com a aquisição), isso vai ser uma vitória para a companhia e ainda mais uma vantagem sobre os outros serviços de entrega, como USPS e FedEx, que não vão ter acesso às fechaduras inteligentes.

Esta parece ser a última parte do plano de grande alcance da Amazon para controlar todo seu sistema de entrega, que já inclui seus próprios armazéns, armazéns de terceiros com sua tecnologia, uma rede de entregadores, parceria com empresas de entrega e agora…campainhas. Campainhas inteligentes que, como nota o GeekWire, já aparecem na plataforma da Alexa.

[Reuters via Geekwire]