Fontes dizem que a Apple está gastando centenas de milhões de dólares em seu serviço de assinatura de jogos, o Arcade. De acordo com uma matéria do Financial Times, o valor total pode passar da marca de meio bilhão de dólares.

Os planos da empresa para entrar no setor de programas de televisão e filmes (assim como parcerias de com empresas de notícias) atraíram a maior parte da atenção da cobertura sobre os últimos lançamentos da companhia. Mesmo assim, esse investimento nos games seria impressionante, correspondendo por metade do orçamento de investimentos de streaming da Apple, que, segundo fontes, é de US$ 1 bilhão.

Várias pessoas familiarizadas com o assunto disseram ao Times que a maioria dos mais de 100 jogos planejados para o serviço têm orçamentos de milhões de dólares. Isso é muito de jogos mobile e o mercado independente que estão na mira da Apple, mas não chega a ser extraordinário quando comparado à indústria de videogames. Neste setor, orçamentos de sete dígitos ou mais fazem parte da rotina.

De acordo com a matéria do Times, alguns analistas acreditam que a iniciativa da Apple em jogos proporcionará mais receita de assinatura do que seu serviço de streaming de filmes e séries. Portanto, a estratégia de grandes orçamentos é uma tentativa de abrir caminho para um mercado de jogos já bastante saturado.

Alguns desenvolvedores também estão assinando acordos lucrativos com a empresa para manter seus jogos exclusivos para iOS por um período de pelo menos “alguns meses”. Isso significa que os títulos inicialmente não estariam disponíveis em outras plataformas, como Android, Xbox e PlayStation.

Diz o Times:

A Apple não informou quanto vai cobrar pelo Arcade ou pelo TV+, mas analistas do HSBC estimaram que as receitas do Apple Arcade crescerão de US$ 370 milhões em 2020 para US$ 2,7 bilhões em 2022 e US$ 4,5 bilhões até 2024. Nesta data, o banco prevê 29 milhões de usuários pagando US$ 12,99 por mês. Esses números são maiores que suas estimativas de receita para o Apple TV+, de US$ 2,6 bilhões até 2022 e US$ 4,1 bilhões até 2024, e do Apple News+, que deve gerar US$ 1,7 bilhão e US$ 2,7 bilhões, respectivamente.

Alguns desenvolvedores estavam céticos de que a Apple seria capaz de competir com editores de jogos bem estabelecidos, acrescentou o Times. Um deles chegou a dizer que os planos da empresa estão muito mais para um Sideways: Entre Umas e Outras do que para um Universo Cinematográfico da Marvel.

A Apple competirá com o Stadia do Google e outros serviços de streaming de jogos. O Google tem grandes planos com seu serviço, como trazer jogos com qualidade de console para alguns dispositivos Android.

No entanto, a empresa de Cupertino também marcou terreno com algumas parcerias de grande porte, incluindo a franquia Sonic the Hedgehog, Cartoon Network, Lego, Beyond a Steel Sky, e várias outras.

Alguém pode se perguntar se a Apple realmente vai despejar milhões em títulos como Hot Lava, um jogo sobre o chão ser lava. Bom, ela tem dinheiro para queimar, com o perdão do trocadilho.

[Financial Times]