Parece que a Apple está afrouxando suas políticas de compras dentro de apps, que foram alvo de críticas de vários serviços e reguladores antitruste por causa de uma comissão que ficou conhecida como o “imposto da Apple”. Um acordo entre Apple e Amazon agora permitirá que os usuários comprem filmes e programas de TV em seu iPhone ou Apple TV — algo que rendia anteriormente 30% do valor para a Apple.

Antes é necessário entender um pouco o contexto das coisas. A Apple tradicionalmente fica com 30% das compras de itens como vídeos, séries ou assinaturas feitas dentro do seu sistema. Como alternativa, alguns aplicativos decidiram barrar essas compras dentro do app, tornando coisas como alugar filmes no Prime Video (recurso que só está disponível em outros países; no Brasil, o Prime Video só tem assinatura) ou comprar livros do Kindle mais difícil do que deveria ser — é preciso entrar nas lojas pelo navegador, fazer login de novo e tudo mais.

Mas agora, a empresa da maçã flexibilizou essa política para uma série de “aplicativos de entretenimento de vídeo qualificados como premium”, incluindo o Prime Video.

“Ao qualificar aplicativos premium de entretenimento, como Prime Video, Altice One e Canal+, os clientes têm a opção de comprar ou alugar filmes e programas de TV usando o método de pagamento vinculado à sua assinatura de vídeo existente”, disse a Apple à CNBC em um comunicado.

A Apple disse que criou uma programa para esses aplicativos de streaming “premium” que oferece “uma variedade de benefícios aos clientes — incluindo integração com o aplicativo Apple TV, suporte ao AirPlay 2, aplicativo tvOS, busca universal, suporte à Siri e, quando aplicável, autenticação única ou não necessária”.

Agora, você poderá comprar conteúdo dentro do app usando qualquer sistema de pagamento que estiver registrado nessas plataformas, em vez de pagar por meio do sistema da Apple. Embora os detalhes sobre quando o programa começou não estejam explícitos, a CNBC informou que a Amazon passou a fazer parte deste esquema nesta quarta-feira (1º).

Não está claro por que a Apple abriu uma exceção para alguns serviços e não para outros, e parece que isso coloca buracos no argumento de que a Apple fez a jogada apenas para evitar um maior escrutínio de autoridades antitruste. Dois notórios críticos à essa política dos 30% que ficam com a Apple são a Netflix e o Spotify que, aparentemente, não estão no rol de “apps de streaming premium”.

A jogada também não põe um fim à contínua disputa entre Apple e Amazon que tornou a sinergia entre plataformas um incômodo para os usuários do Prime Video e do Kindle. Mas tornará a visualização de vídeo menos incômoda para os membros do Prime — especialmente para os conteúdos que não estão disponíveis na Apple TV. E, com mais gente ficando em casa, a nova decisão dá aos usuários mais opções e beneficiam todas as partes envolvidas.