O Asus ROG Phone do ano passado parecia ser um dos primeiros telefones gamers que faziam sentido. Mas, para a segunda tentativa da marca, a Asus dobrou quase tudo. Com uma tela de 6,6 polegadas, novo processador Qualcomm e uma bateria gigante, a Asus pode ter criado o mais poderoso smartphone Android do mercado.

Vamos começar com sua tela. Em vez de um display com taxa de atualização de 90 Hz, a Asus selecionou uma tela OLED ainda mais rápida, com uma taxa de atualização de 120 Hz — aliás, essa configuração é a primeira a estar presente em um smartphone e está em sintonia com a tendência de monitores para PC com telas mais responsivas. A tela também apresenta uma taxa de amostragem por toque de 240 Hz, para um um reconhecimento de entrada mais preciso. De acordo com a Asus, o display é quatro vezes mais sensível que as taxas de amostragem de 85 Hz e 87 Hz vistas no OnePlus 7 Pro e no Galaxy S10.

No entanto, por padrão, a tela é configurada apenas para 60 Hz para ajudar a economizar energia. O usuário pode selecionar apps específicos para rodar com taxas de atualização maiores, então você ainda pode maximizar o desempenho da tela quando precisar, sem reduzir a autonomia de bateria de forma inútil.

Traseira do ROG Phone 2, da Asus

Por dentro, a Asus colocou uma memória de 12 GB e 512 GB para armazenamento com o recém-lançado Snapdragon 855 Plus, da Qualcomm, que possui velocidades de clock maiores que o Snapdragon 855 padrão. O chip também vem com um conjunto especial de funcionalidades para jogos, como o Game Jank Reducer e uma funcionalidade para abrir games mais rápido.

Porém, o verdadeiro recurso chocante do ROG Phone 2 é sua bateria de 6.000 mAh. Para efeitos de comparação, o primeiro ROG Phone tinha apenas 4.000 mAh, enquanto outros telefones top de linha, como o Galaxy S10+ e o One Plus 7 Pro contam com 4.100 e 4.000 mAh, respectivamente.

Comparativo de Benchmark do ROG Phone 2, da AsusPor ter versão aprimorada do chip Snapdragon 855, Asus diz que seu aparelho tem desempenho 10% superior ao dos seus concorrentes. Crédito: Asus

Quem joga sabe como games como PUBG Mobile e Fortnite Mobile podem acabar rapidamente com a bateria do telefone. Então, esta capacidade extra de bateria é muito bem-vinda. De fato, a Asus promete que é possível jogar PUBG Mobile por 7 horas seguidas com apenas uma carga, embora isso seja com a tela configurada em apenas 60 Hz em vez de 120 Hz.

O ROG Phone 2 inclui uma série de outros impulsionadores de desempenho, incluindo uma câmara de vapor integrada para melhor refrigeração, várias portas USB-C (para que você possa manter o telefone recarregado durante o jogo sem cabos atrapalhando) e versões mais responsivas dos botões touch sensíveis usado no ROG Phone original.

A Asus ainda incluiu um motor de vibração mais potente para dar um pouco mais ação, além de um sensor de impressão digital sob a tela. A única coisa que o ROG Phone 2 não parece ter é suporte a 5G. E, para minha decepção, o design do ROG Phone 2 é muito parecido com o do modelo do ano passado.

Linha de acessórios do ROG Phone 2, da AsusComo no ano passado, ROG Phone tem um monte de acessórios. Crédito: Asus

Se você quiser um smartphone para jogar, o ROG Phone já chega ocupando o topo da lista. De certa forma, isso deve pressionar a Samsung, pois com o lançamento do Galaxy Note 10, previsto para 7 de agosto, não iria pegar bem se a linha de telefones da Samsung que tradicionalmente vem mais carregada de especificações fosse pior que o novo smartphone gamer da Asus.

O ROG Phone 2 deve começar a ser vendido em setembro globalmente. E embora a Asus ainda não tenha revelado preços, a companhia diz que estará na mesma faixa do ROG Phone, que custava em torno de US$ 900 quando foi lançado.