Uma linda praia pitoresca na província espanhola de Cádiz foi pulverizada com alvejante diluído, numa tentativa equivocada e ambientalmente hostil de proteger as crianças do novo coronavírus.

“É totalmente um absurdo”, disse María Dolores Iglesias Benítez, chefe de um grupo local de voluntários ambientais, ao Guardian. “A praia é um ecossistema vivo. E quando você joga alvejante, você está matando tudo o que encontrar.”

A praia, Zahara de los Atunes, foi embebida em alvejante na semana passada, em preparação para um alívio das medidas de confinamento provocadas pela pandemia de COVID-19. Em declarações à BBC, a autoridade local Agustín Conejo disse que a decisão de borrifar a praia com o poderoso desinfetante foi “uma decisão errada” e um “erro”, mas que foi “feito com a melhor intenção” para proteger as crianças.

O novo coronavírus atingiu muito a Espanha. O país registrou 24.275 mortes e mais de 230 mil infecções confirmadas, segundo a Universidade Johns Hopkins. A Espanha implementou algumas das medidas de distanciamento social mais duras do mundo, mas anunciou um plano em quatro fases para aliviar as restrições nas próximas semanas e meses após parecer conter a curva de casos confirmados no mês passado.

Entre essas medidas, há uma que permite que crianças menores de 14 anos saiam todos os dias por uma hora, depois de passar semanas em ambientes fechados.

No entanto, na preparação para isso, as autoridades espanholas decidiram por pulverizar de desinfetantes químicos em ruas, edifícios, estações ferroviárias e carros, na tentativa de limpar o ambiente do vírus. A Espanha até recorreu ao uso de canhões de neve para espalhar desinfetantes.

Infelizmente, no entanto, a BBC disse que as autoridades da província de Cádiz aprovaram a pulverização de um trecho de 2 quilômetros de Zahara de los Atunes. Tratores equipados com pulverizadores distribuíram o alvejante diluído na semana passada, o que resultou em danos ecológicos.

Falando à mídia espanhola, e conforme noticiado pela BBC, Iglesias Benitez, que visitou a praia pessoalmente, disse que o alvejante “matou tudo no chão, nada é visto, nem mesmo insetos”. Ela disse que a pulverização nunca deveria ter acontecido, uma vez que a praia é uma área protegida para aves migratórias e ela viu pelo menos um ninho danificado com ovos destruídos pelos tratores.

A praia é conhecida por ser um local população de nidificação (ação de alguma espécie animal de construir seu ninho) migratória, pois fica ao longo do Estreito de Gibraltar, separando a Europa e a África.

O incidente também chamou a atenção do Greenpeace Espanha.

Em um tuíte recente, o grupo ambientalista disse: “Fumigar praias com água sanitária no meio da estação de criação de pássaros ou durante o desenvolvimento da rede de invertebrados que dará suporte à pesca costeira e destruir o valor turístico da costa não é uma das idéias de Trump. Está acontecendo em Zahara de los Atunes.”

A referência ao presidente dos EUA tinha relação com declarações recentes dele falando sobre o uso de desinfetantes como remédio para afastar o coronavírus. Ainda não há informações sobre medidas punitivas para os responsáveis, mas o governo regional da Andaluzia está investigando o incidente.