As indicações ao BAFTA 2022 já estão entre nós!

A Academia Britânica de Cinema e Televisão anunciou os indicados em 25 categorias. A lista dos concorrentes da 75ª edição da premiação foi divulgada nesta quinta-feira (03) e o filme “Duna” recebeu 11 indicações no total, a maior marca de 2022.

Logo em seguida vem “Ataque Dos Cães” com oito indicações, enquanto “Belfast” apareceu em seis categorias. Nas categorias de atuações, 19 dos 24 indicados fazem sua estreia. Entre as favoritas na briga de melhor atriz, apenas Lady Gaga (“Casa Gucci”) foi lembrada. 

Além disso, Gaga se tornou o único nome da temporada a receber indicações nos quatro principais prêmios do cinema por seu papel em “Casa Gucci”: Critics Choice, Globo de Ouro, SAG Awards e BAFTA.

Indicados como Ariana DeBose e Harris Dickinson, nomeados na categoria EE Estrela em Ascensão, já haviam sido anunciados na terça-feira (01). 

Formado por um júri de especialistas, o BAFTA faz parte do “Big Five” (“o grande cinco”), composto pelas principais premiações, ao lado do Globo de Ouro, Critics Choice, SAG Awards e, claro, Oscar.

Neste ano, a cerimônia do BAFTA acontece em 13 de março no lendário Royal Albert Hall, em Londres, com apresentação de Rebel Wilson.

Veja lista de indicados ao Bafta 2022:

Melhor filme

  • “Belfast”
  • “Não Olhe Para Cima”
  • “Duna”
  • “Licorice Pizza”
  • “Ataque dos Cães”

Melhor filme britânico

  • “After Love”
  • “Ali & Ava”
  • “Belfast”
  • “Boiling Point”
  • “Cyrano”
  • “Everybody’s Talking About Jamie”
  • “Casa Gucci”
  • “Noite Passada em Soho”
  • “007 – Sem Tempo Para Morrer”
  • “Identidade”

Melhor filme de língua não inglesa

  • “Drive My Car”
  • “A Mão de Deus”
  • “Mães Paralelas”
  • “Petite Maman”
  • “The Worst Person in the World”

Melhor direção

  • Aleem Khan, por “After Love”
  • Ryûsuke Hamaguchi, por “Drive My Car”
  • Audrey Diwan, por “Happening”
  • Paul Thomas Anderson, por “Licorice Pizza”
  • Jane Campion, por “Ataque dos Cães”
  • Julia Ducournau, por “Titane”

Melhor roteiro original

  • “Apresentando os Ricardos” (Aaron Sorkin)
  • “Belfast” (Kenneth Branagh)
  • “Não Olhe Para Cima” (Adam McKay)
  • “King Richard: Criando Campeãs” (Zach Baylin)
  • “Licorice Pizza” (Paul Thomas Anderson)

Melhor roteiro adaptado

  • “No Ritmo do Coração” (Siân Heder)
  • “Drive My Car” (Ryusuke Hamaguchi)
  • “Duna” (Denis Villeneuve)
  • “A Filha Perdida” (Maggie Gyllenhaal)
  • “Ataque dos Cães” (Jane Campion)

Melhor atriz

  • Lady Gaga, por “Casa Gucci”
  • Alana Haim, por “Licorice Pizza”
  • Emilia Jones, por “No Ritmo do Coração”
  • Renate Reinsve, por “The Worst Person in the World”
  • Joanna Scanlan, por “After Love”
  • Tessa Thompson, por “Identidade”

Melhor ator

  • Adeel Akhtar, por “Ali & Ava”
  • Mahershala Ali, por “Swan Song’
  • Benedict Cumberbatch, por “Ataque dos Cães”
  • Leonardo DiCaprio, por “Não Olhe Para Cima”
  • Stephen Gragam, por “Boiling Point”
  • Will Smith, por “King Richard: Criando Campeãs”

Melhor atriz coadjuvante

  • Citriona Balfe, por “Belfast”
  • Jessie Buckley, por “A Filha Perdida”
  • Ariana DeBose, por “Amor, Sublime Amor”
  • Ann Dowd, por “Mass’
  • Aunjanue Ellis, por “King Richard: Criando Campeãs”
  • Ruth Negga, por “Identidade”

Melhor ator coadjuvante

  • Mike Faist, por “Amor, Sublime Amor”
  • Ciarán Hinds, por “Belfast”
  • Troy Kotsur, por “No Ritmo do Coração”
  • Woody Norman, por “Sempre em Frente”
  • Jesse Plemons, por “Ataque dos Cães”
  • Kodi Smit-McPhee, por “Ataque dos Cães”

Melhor elenco

  • “Boiling Point”
  • “Duna”
  • “A Mão de Deus”
  • “King Richard: Criando Campeãs”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor documentário

  • “Becoming Cousteau”
  • “Cow”
  • “Flee”
  • “The Rescue”
  • “Summer of Soul (… ou, Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada)”

Melhor animação

  • “Encanto”
  • “Flee”
  • ‘Luca”
  • “A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas”

Melhor trilha sonora

  • “Apresentando os Ricardos” (Daniel Pemberton)
  • “Não Olhe Para Cima” (Nicholas Britell)
  • “Duna” (Hans Zimmer)
  • “A Crônica Francesa” (Alexandre Desplat)
  • “Ataque dos Cães” (Jonny Greenwood)

Melhor fotografia

  • Greig Fraser, por “Duna”
  • Dan Laustsen, por “O Beco do Pesadelo”
  • Linus Sandgren, por “007 – Sem Tempo Para Morrer”
  • Ari Wegner, por “Ataque dos Cães”
  • Bruno Delbonnel, por “A Tragédia de Macbeth”

Melhor edição

  • “Belfast” (Úna Ní Dhonghaíle)
  • “Duna” (Joe Walker)
  • “Licorice Pizza” (Andy Jurgensen)
  • “007 – Sem Tempo Para Morrer” (Tom Cross & Elliot Graham)
  • “Summer of Soul (… ou, Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada)” (Joshua L. Pearson)

Melhor design de produção

  • “Cyrano” (Sarah Greenwood & Katie Spencer)
  • “Duna” (Patrice Vermette & Zsuzsanna Sipos)
  • “A Crônica Francesa” (Adam Stockhausen & Rena DeAngelo)
  • “O Beco do Pesadelo” (Tamara Deverell & Shane Vieau)
  • “Amor, Sublime Amor” (Adam Stockhausen & Rena DeAngelo)

Melhor figurino

  • Jenny Beavan, por “Cruella”
  • Massimo Cantini Parrini, por “Cyrano”
  • Robert Morgan & Jacqueline West, por “Duna”
  • Milena Canonero, por “A Crônica Francesa”
  • Luis Sequeira, por “O Beco do Pesadelo”

Melhor cabelo e maquiagem

  • “Cruella”
  • “Cyrano”
  • “Duna”
  • “Os Olhos de Tammy Faye”
  • “Casa Gucci”

Melhor som

  • “Duna”
  • “Noite Passada em Soho”
  • “007 – Sem Tempo Para Morrer”
  • “Um Lugar Silencioso: Parte II”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhores efeitos especiais

  • “Duna”
  • “Free Guy: Assumindo o Controle”
  • “Ghostbusters: Mais Além”
  • “Matrix Resurrections”
  • “007 – Sem Tempo Para Morrer”

Melhor curta britânico em animação

  • “Affairs of the Art”
  • “Do Not Feed the Pigeons”
  • “Night of the Living Dead”

Melhor curta britânico

  • “The Black Cop”
  • “Femme”
  • “The Palace”
  • “Stuffed”
  • “Three Meetings of the Extraordinary Committee”

Melhor estreia de um roteirista, diretor ou produtor britânico

  • Aleem Khan, por “After Love”
  • James Cummings & Hester Ruoff, por “Boiling Point”
  • Jeymes Samuel, por “Vingança & Castigo”
  • Posy Dixon & Liv Procter, por “Keyboard Fantasies”
  • Rebecca Hall, por “Identidade”